COLUNA

Estratégia definida

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h23

O Palácio dos Leões já tem bem definida e alinhada a estratégia para a disputa da Prefeitura de São Luís na sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), para o pleito de 2020.
Trata-se do lançamento de mais de uma candidatura. O objetivo é tentar forçar um eventual segundo turno, seja quem for o candidato oposto. Por enquanto, institutos de pesquisas apontam o deputado federal Eduardo Braide (PMN), adversário do governador Flávio Dino (PCdoB), na dianteira.
A revelação foi feita pelo presidente da Assembleia Legislativa do estado, deputado Othelino Neto (PCdoB), em entrevista concedida ao programa Ponto Final, da Rádio Mirante AM. Othelino afirmou que, no caso específico do PCdoB, partido do chefe do Executivo estadual, três nomes são analisados para a disputa.
Ele citou o secretário de Estado das Cidades, Rubens Júnior; o deputado estadual Duarte Júnior e o vice-prefeito de São Luís, Júlio Pinheiro.
Othelino explicou que a definição no PCdoB dependerá da indicação do governador e da análise em pesquisas. “Estamos analisando alguns nomes e escolheremos em momento oportuno”, esclareceu.
Outro partido que pertence à base governador que pode lançar uma segunda candidatura dentro da estratégia para tentar forçar o segundo turno, é o PDT. Comandado pelo senador Weverton Rocha e dono da atual gestão com Edivaldo Júnior, o partido já fechou questão quanto ao lançamento de uma candidatura.
Até o momento, o nome defendido pelo próprio Weverton é o do vereador Osmar Filho, presidente da Câmara Municipal de São Luís. Resta saber se Weverton, o PDT e Osmar Filho estão dispostos a “abraçar” o plano do Palácio dos Leões.

Balanço
O presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto, fez uma espécie de balanço do primeiro semestre na Casa.
De acordo com Othelino, mais de 330 projetos de lei foram apreciados pela Casa de fevereiro a junho deste ano, número que, segundo ele, dobrou em relação aos anos de 2017 e 2018.
“Nós conseguimos dobrar a apreciação de projetos de lei. Esse é um número que exemplifica bem como a Assembleia produziu bastante”, disse.

Reinício
A Assembleia Legislativa retomou ontem os trabalhos, após o fim do período de recesso parlamentar.
Agora os deputados devem se concentrar na organização do orçamento para o exercício financeiro de 2020 no Executivo e na discussão sobre a situação da Previdência Estadual.
Para isso, segundo Othelino Neto, é necessário aguardar o fim da tramitação da Reforma da Previdência no Congresso Nacional.

Participação
O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT), defendeu ontem, na reabertura dos trabalhos da Casa, a participação popular na construção do Plano Diretor.
Ele afirmou que os debates não ficarão sob a exclusividade do Plenário e disse que pretende levar o projeto para apreciação coletiva nas várias regiões da capital.
Entre os pontos que precisam ser definidos no Plano Diretor, segundo Osmar, está a definição do que é a área urbana e a área rural de São Luís.

Infraestrutura
Com o fim do período chuvoso, as obras já previstas em área de infraestrutura e recuperação de logradouros públicos serão retomados.
A Prefeitura de São Luís vai iniciar a recuperação asfálticas em bairros da capital e também vai começar a recuperação de mercados como da Cohab, São Francisco e o Mercado das Tulhas, situado na Praia Grande.
Paralelo a estas obras, o município quer manter o ritmo de serviços na área da Educação (com reforma de escolas) e da Saúde.

“Desperta, Maria!”
O Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) instituiu um programa de prevenção e enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher, no âmbito do Poder Judiciário estadual.
Trata-se do “Desperta, Maria!”, cujo objetivo é incentivar servidoras, colaboradoras das empresas terceirizadas e magistradas a denunciarem situações de violência doméstica e familiar.
O programa será executado pela Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Cemulher).

Drama continua
Segue o drama do cachê dos grupos culturais contratados para a programação junina.
Ao contrário das atrações nacionais - que recebem em dia -, as manifestações maranhenses, responsáveis pela maior parte da programação, entraram no mês de agosto sem dinheiro no bolso.
Além do drama da espera, os grupos precisam ter muito molejo para lidar com a cobrança de quem prestou serviço para eles durante as apresentações (fornecedores de transporte, costureiras, bordadeiras, músicos, etc.). Tem artista fazendo promessa antecipada para São João para receber o atrasado.

DE OLHO

R$ 1.200.781,52 é o valor pago pelo Governo do Estado em 2019 para a Medfarma.

E MAIS

• A Câmara Federal retoma hoje a discussão da Reforma da Previdência.

• Após a apreciação da peça, em segundo turno, a matéria será encaminhada para o Senado.

• O MDB ainda não tem pré-candidatura definida para a disputa da Prefeitura de São Luís em 2020.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.