Cidades | Aedes Aegypti

457 casos de dengue são notificados no primeiro semestre

Quase metade dos registros é do mês de maio, com quantidade maior de chuvas; dados são do controle epidemiológico da Prefeitura de São Luís
23/07/2019
457 casos de dengue são notificados no primeiro semestrePneus descartados e acumulados ao relento, na Avenida 48, na Areinha, podem se tornar criadouros (De Jesus / O ESTADO)

SÃO LUÍS - Dados da Vigilância Epidemiológica da Prefeitura de São Luís apontam que, na capital ma­ranhense, foram notificados 457 casos de dengue somente no primeiro semestre deste ano (de 1º de janeiro a 29 de junho). Questionado, o Município não informou o saldo oficial de pessoas infectadas no mesmo período do ano passado. Ainda de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), quase metade (44% ou 202 casos) foi registrada em 2019 no mês de maio, período de volume pluviométrico intenso na cidade.

Dos registros notificados e que constam no banco de dados do Município de São Luís, 121 foram confirmados em laboratório. Até o momento, nenhum óbito foi confirmado por causa da doença.
A Semus também informou, em nota, que nos primeiros seis meses deste ano foram registradas 102 notificações de chikungunya. Destes, apenas 17 foram confirmados em laboratório. Segundo a pasta, nenhum óbito foi confirmado.

Quanto à zika, também causada pelo Aedes aegypti – assim como a dengue e a chikungunya – foram 60 notificações. No entanto, de acordo com a Prefeitura, até o momento não há nenhum caso confirmado da enfermidade.

De acordo com o coordenador do Programa de Arboviroses de São Luís, Pedro Tavares, os números reforçam as boas ações realizadas pelo poder público. “Além das campanhas de conscientização nas redes sociais e veículos oficiais, nossas equipes também intensificaram as visitas domiciliares e recolhimento de materiais que, por ventura, ainda possam causar elevação dos totais da doença”, disse.

Dia D

O gestor citou, por exemplo, o Dia D promovido no dia 10 deste mês em bairros da capital maranhense, em especial, na Cidade Olímpica. Além deste, outros bairros pertencentes a São José de Ribamar fo­ram contemplados.

Até maio deste ano, ainda segundo a Prefeitura, havia o registro de queda de 65% no número de casos de dengue.
Em 2018, o Município – de acordo com a coordenadoria do setor de Arboviroses – registrou queda nas notificações.

De acordo com a Semus, de 2017 até o ano seguinte, os casos de dengue reduziram 55,5%. No total, considerado zika e chikungunya, foi registrada uma diminuição de 50,2% nos casos notificados de arboviroses.

Criadouros

Mesmo com os dados de queda no número de notificações de dengue na periferia de São Luís, ainda é possível encontrar possíveis criadouros do mosquito Aedes. Na tarde de ontem, 22, O Estado encontrou nos bairros da Areinha, Lira e Bairro de Fátima vários casos do gênero.

Na Avenida 48, principal da Areinha, vários pneus descartados são colocados nos arredores da pista. Segundo moradores, os objetos são posicionados por borracheiros. “São eles que colocam aí, dizendo que a Prefeitura recolhe”, disse Moisés Lima, carroceiro.

Até ontem, os pneus não foram recolhidos pelo Município. Questionada, a Semus informou que “efetua o serviço” e que, somente no ano passado, mais de nove toneladas de pneus velhos foram retirados das ruas e avenidas.

FIQUE POR DENTRO

Dengue
457 casos notificados
121 confirmados em laboratório
Zika
60 casos notificados
Nenhum caso confirmado em laboratório
Chikungunya
102 casos notificados
17 casos confirmados em laboratório

Fonte: Semus

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte