Geral | Casamento Comunitário

Setenta e cinco casais regularizam a união civil em Barreirinhas

Cerimônia foi aberta pelo corregedor-geral da Justiça, desembargador Marcelo Carvalho Silva.
Divulgação / CGJ-MA12/07/2019 às 12h11
Setenta e cinco casais regularizam a união civil em BarreirinhasCasais oficializaram união durante a cerimônia. (Divulgação)

BARREIRINHAS - Na noite desta quinta-feira (12), 75 casais residentes na sede e em povoados do município de Barreirinhas regularizaram a união civil em casamento comunitário promovido pelo Poder Judiciário da comarca, evento realizado no auditório do Instituto Federal do Maranhão (IFMA- Campus Barreirinhas). A cerimônia foi aberta pelo corregedor-geral da Justiça, desembargador Marcelo Carvalho Silva, com a presença do juiz titular de Barreirinhas, Fernando Jorge Pereira, e outros magistrados que participaram de mutirão de audiências criminais realizado desde a última segunda-feira (8) na comarca.

Leia também:

Inscrições para o casamento comunitário de São Luís vão até sexta-feira (12)

Casais participam de inscrição em casamento comunitário​

O casamento teve início com a união civil de José Maria Oliveira Dutra e Maria Lúcia Alves de Freitas, casal mais idoso da cerimônia, que trocaram alianças perante o juiz José Augusto Sá Costa Leite, da 2ª Vara de Rosário. “Quero recebê-la como minha esposa”, respondeu seu José Maria ao magistrado.

Em seguida, os juízes Artur Gustavo Azevedo do Nascimento (Juizado Especial de Pedreiras), Denise Pedrosa Torres (4ª Vara de Santa Inês) Edilza Barros Ferreira (1ª Vara Criminal de Imperatriz), Tonny Carvalho Araujo (2ª Vara de Balsas), Marco Adriano Ramos Fonseca (1ª Vara de Pedreiras) e Marcelo Silva Moreira (diretor da CGJ) deram continuidade às uniões civis dos casais mais jovem, com noivas grávidas e demais habilitados para a cerimônia.

O casal Kelyane da Silva Pereira (30) e Francisco Silva (40), moradores do povoado Atins, deslocaram-se da comunidade, acompanhados do filho pequeno, para regularizar a união civil, após 13 anos de convivência e três filhos. “É uma oportunidade muito importante, principalmente para casais que não possuem condições de arcar com os custos de um casamento”, disseram.

Na ocasião, o corregedor-geral da Justiça, desembargador Marcelo Carvalho Silva, elogiou a iniciativa do juiz Fernando Jorge Pereira pela realização do mutirão de audiências e do casamento em Barreirinhas e pela integração com a comunidade local. “Os membros do Judiciário precisam estar mais próximos dos cidadãos, que são o destinatário final dos nossos serviços e a quem devemos servir”, observou.

O juiz Marco Adriano Ramos Fonseca, representando a Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA), falou sobre a importância da união de esforços entre instituições públicas e a iniciativa privada para o alcance de bons resultados. “Estes eventos marcam a história da cidade e do juiz na comarca, com a contribuição dos colegas juízes que se deslocam de suas comarcas”, avaliou.

O promotor de Justiça de Barreirinhas, Francisco de Assis Silva Filho, também falou sobre os benefícios para a comunidade promovidos pelo mutirão de audiências e casamento comunitário. “Este é o momento em que os casais demonstram uma atitude de amor de um pelo outro perante o Estado”, ressaltou.

O juiz Fernando Jorge Pereira falou sobre o trabalho do Judiciário em Barreirinhas, ressaltando o mutirão de audiências e o casamento comunitário contaram com a importante a parceria do IFMA – que cedeu as instalações -; do TJMA, que disponibilizou e montou toda a estrutura de equipamentos e rede de internet; da CGJ, com a designação dos juízes; além da Prefeitura de Barreirinhas, Polícia Militar, Cartório Extrajudicial e comerciantes locais. “Sabemos que a magistratura trabalha com a razão, mas o esforço pra fazer o melhor vem do coração, e hoje os casais estão aqui para renovar os votos que já aconteceram no amor e na vontade de estarem juntos”, disse.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte