Polícia | Prisão

Mulher é presa por embriagar o próprio filho de 2 anos

Fato ocorreu na cidade de Santa Inês; vítima teria ingerido bebida alcoólica deixada pela mãe ao seu alcance; é o segundo caso registrado naquela cidade este ano
Ismael Araújo04/07/2019

SANTA INÊS - Duas mulheres já foram presas este ano, na cidade de Santa Inês, acusadas de terem dado bebida alcoólica a crianças. Ainda ontem, um menino de 2 anos, estava internado no hospital do município por ter ingerido cachaça dada pela sua genitora, que não teve o seu nome revelado.

A conselheira tutelar de Santa Inês, Cláudia Rodrigues, informou que a mãe do menor disse que estava ingerindo bebida alcoólica em sua residência, no bairro Sol Nascente, na companhia de um amigo. Em determinado momento, ela saiu para comprar comida e teria deixado a criança sozinha, deixando a garrafa de bebida na calçada.

Ao voltar, a mulher encontrou o filho desacordado em cima da cama. Ele, então, desespera, chamou a polícia. Os militares, inicialmente, pensaram que a criança estivesse engasgada ou com intoxicação alimentar. Eles decidiram, então, levar a criança para o hospital, onde ficou constatado que se tratava de consumo de bebida alcoólica.

Ainda segundo a conselheira tutelar, a criança, que continua internada, mas não corre risco de morte, após receber alta médica, vai ser entregue a uma tia, já que o pai dele está viajando. A mãe foi presa e conduzida para a delegacia da cidade e pode responder pelos crimes previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) por negligência, abandono de incapaz e facilitação de bebida alcoólica a menor de idade.

Outro caso

Em fevereiro deste ano, no dia 14, Deuzenir América Rodrigues Isídio, de 37 anos, foi presa por suspeita de ter embriagado um bebê de um ano e oito meses, na Vila Olímpica, em Santa Inês. De acordo com a polícia, a acusada, tia da vítima, foi denunciado para a polícia pela mãe da criança.

Na delegacia, a acusada negou a acusação e declarou que estava ingerindo cerveja em sua residência e as latas estavam sendo jogadas nas proximidades. A criança, brincando em companhia de outras crianças, teria ingerido o líquido que restava na lata.

A mulher declarou, também, que ao perceber o que a criança estava fazendo, a levou para a casa dos pais e foi dormir em seguida. Ela somente acordou com a presença dos militares e os pais da criança em frente a sua residência, a acusando de ter dado bebida alcoólica ao bebê.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte