O Mundo | Crítica

Dalai Lama diz que faltam princípios morais a Trump

Ele criticou o presidente dos Estados Unidos, disse que a Europa deve ser para os europeus e que líder espiritual mulher deve ser atraente
30/06/2019 às 07h00
Dalai Lama diz que faltam   princípios morais a Trump Líder espiritual, que vive como refugado na Índia, deu uma entrevista a uma emissora inglesa (Reuters)

LONDRES - O Dalai Lama acusou o presidente americano Donald Trump de não ter "princípios morais", em uma entrevista à rede britânica BBC.

"Um dia [Trump] diz uma coisa e no seguinte diz outra", afirmou o líder espiritual tibetano, de 83 anos. "Mas eu acredito que [há] uma falta de princípios morais".

"Quando se tornou presidente, disse aquilo de 'America First'. Isso é errado. Os Estados Unidos deveriam assumir uma responsabilidade global", afirmou.

As emoções de Trump são "algo um pouco... muito complicado", disse ele.O Dalai-lama, vencedor do prêmio Nobel da Paz, vive exilado em Dharamsala, no norte da Índia, desde que fugiu do Tibete em 1959.

O líder espiritual deu também sua opinião sobre o Brexit – para ele, seria melhor para o Reino Unido permanecer na União Europeia.

Ele também foi perguntado sobre refugiados africanos e imigrantes na Europa. Segundo o Dalai Lama, a Europa deve recebê-los, oferecer educação e treinamento. Mas, no fim, eles devem voltar para os seus países –só a um número limitado deveria ser dada autorização para permanecer, de acordo com ele.

“A Europa inteira vai eventualmente se tornar muçulmana? Impossível. Ou um país africano? Também impossível”, afirmou. Ele disse também que é melhor “manter a Europa para os Europeus”.

Não foi a primeira vez que o Dalai Lama fez comentários dessa natureza. Em setembro de 2018, ele afirmou que a “Europa pertence aos europeus”, e que refugiados deveriam voltar a seu país de origem.

Sucessora

“Se uma Dalai Lama mulher me suceder, então ela deveria ser mais atraente”, afirmou, com uma risada.

Ele então contorceu o rosto, e disse que se uma Dalai Lama mulher tivesse um visual específico, “então as pessoas, eu penso, preferem não ver aquele rosto”.

Mais uma vez, não foi uma observação totalmente nova: em 2015, ele disse que certamente a próxima líder poderia ser uma mulher, mas que teria que ter uma boa aparência ou “não seria de muito uso”.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte