Vida | Saúde

96% dos brasileiros sofrem com dores no corpo, aponta pesquisa

Dados são da Global Pain Index 2018; estudo ouviu 24 mil pessoas de 24 países; quatro em cada cinco se sentem pessoas melhores quando estão sem dor
30/06/2019 às 00h00
96% dos brasileiros sofrem com dores no corpo, aponta pesquisa (Divulgação)

RIO DE JANEIRO - Noventa e seis por cento da população brasileira já sentiu alguma dor no corpo e 95% têm dores todos os dias, aponta a pesquisa Global Pain Index 2018, encomendada pela GSK. Apesar da intensidade e a reação à dor ser muito particular, pode-se dizer que ela já afetou o dia a dia de quase todo mundo. Ainda segundo o estudo, que ouviu 24 mil pessoas de 24 países, quatro em cada cinco entrevistados em todo o mundo se sentem pessoas melhores quando não estão sentindo dor.

“Essas dores afetam o dia a dia das pessoas de diferentes maneiras. Há quem fique mais estressado, não consiga se concentrar no trabalho ou em outras atividades. Como vivemos uma rotina cada vez mais multitarefa, trabalhando, cuidando dos filhos, da casa e dela mesma, as dores não devem ser mais um obstáculo”, explica Ana Santoro, gerente Médica da GSK Brasil (CRM 5247120-3).

No mundo, as dores musculares são as mais frequentes (95%), contemplando as dores nas costas (92%), dores na lombar (87%), pescoço (86%) e ombros (83%). No entanto, falar sobre dores no Brasil ainda é um tabu para quatro em cada dez entrevistados e para a metade deles a dor é algo muito pessoal, sendo difícil falar sobre o assunto.

“O mais comum é que as pessoas optem por comprimidos para aliviar as dores, como aqueles à base de dipirona ou ibuprofeno e, raramente, vão ao médico, a menos que a dor se prolongue por muito tempo ou seja realmente incapacitante. Mas, é preciso lembrar que há opções de medicamentos em emulgel, que são tão eficazes quanto os comprimidos. A Live será uma oportunidade de falarmos sobre esses e outros temas”, completa a médica Ana Santoro.

Ela afirma que CataflamPro pode ser um aliado no combate às dores musculares do dia a dia, sendo sua versão Emulgel 1% uma alternativa ao tradicional comprimido. Um estudo clínico realizado pela GSK, comprovou que o medicamento possui a mesma eficácia de um comprimido de ibuprofeno. Por ser aplicado diretamente no local dar dor, Ele não causa efeitos colaterais no estômago, além de trazer alívio rápido e vir em embalagens práticas, que cabem na bolsa.

Além disso, o ativo fórmula do medicamento (diclofenaco dietilamônio) ainda é um anti-inflamatório e analgésico, assim ajuda não somente a aliviar a dor, mas a também a tratar a inflamação.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte