Economia | Novo horário

Comércio autorizado a funcionar aos domingos e feriados

Finalidade é gerar mais empregos. Portaria do Governo Federal repercute na Ilha. Para que ocorra na prática, leis municipais devem ser observadas
20/06/2019

Portaria do Governo Federal amplia em mais seis, o número de setores - agora são 78 - autorizados a funcionar de forma permanente aos domingos e feriados, entre os quais o comércio em geral, com a finalidade de gerar mais empregos no país. Mas, para que isso aconteça na prática, legislações municipais devem ser observadas.
Além do comércio em geral, a portaria autoriza o funcionamento dos segmentos da indústria de extração de óleos vegetais e de biodiesel; indústria do vinho e de derivados de uva; indústria aeroespacial; estabelecimentos destinados ao turismo em geral e serviços de manutenção aeroespacial. “São setores que necessitam que haja trabalho independentemente do dia semana sob pena de perda econômica, dificuldade de empregabilidade e até cessação da atividade laboral”, disse o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho.
Em 1999, o então prefeito de São Luís, Jackson Lago (já falecido), sancionou a Lei nº 3.854, autorizando os estabelecimentos comerciais, independentemente das atividades exerçam, a funcionar, de segunda-feira a domingo, no regime de horário livre.
No entanto, a lei condiciona o funcionamento dos estabelecimentos comercias a partir das 12h de sábado e nos dias de domingo, a prévio acordo com o Sindicato dos Empregados no Comércio de São Luís.
Segundo o presidente da Associação Comercial do Maranhão (ACM), Felipe Mussalém, a classe empresarial já esperava pela desburocratização há muito tempo. “Até que enfim surge um governo que aponta para a liberdade econômica. Ganham todos. O empresário que terá seu negócio funcionando mais dias, o empregado que pode melhorar sua renda, o cliente que tem mais dias de comércio aberto, ainda mais aos finais de semana que é quando ele tem tempo, e o país com a geração de mais empregos e renda”, avaliou.
O pensamento de Felipe Mussalém se alinha ao do secretário Rogério Marinho, em relação à geração de emprego. “Com mais dias de trabalho das empresas, mais pessoas serão contratadas. Esses trabalhadores terão suas folgas garantidas em outros dias da semana”, escreveu o secretário no Twitter.
Já o presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de São Luís (Sindcomerciários), Oswaldo Muller, antevê a medida como “um desastre para os trabalhadores e sindicatos”.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte