Polícia | brutalidade

Mãe, de 20 anos, é presa suspeita de esquartejar filho de três meses

Patricia Maria dos Santos Pereira foi presa depois que foi até a delegacia e confessou o crime; a polícia investiga se o crime teria relação com rituais de magia negra
OESTADOMA.COM06/06/2019 às 11h55
Mãe, de 20 anos, é presa suspeita de esquartejar filho de três mesesPatricia Maria dos Santos Pereira foi presa suspeita de matar e esquartejar o filho de três meses. (Foto: Divulgação)

ITAPECURU-MIRIM - Uma jovem, de 20 anos, identificada como Patricia Maria dos Santos Pereira foi presa temporariamente suspeita de matar e esquartejar o filho de três meses de idade. O crime aconteceu no início do mês de maio, no povoado Vinagre, em Itapecuru-Mirim. O corpo da criança foi encontrado dentro de uma sacola em um matagal.

Saiba Mais:

Corpo de criança é encontrado em matagal em Itapecuru-Mirim

Presos suspeitos de envolvimento na morte de criança encontrada em matagal

De acordo com informações da polícia, Patricia confessou o crime depois que os pais, identificados como Jackson Matos Pereira e Marilene dos Santos Menezes, foram presos suspeitos de terem envolvimento no assassinato. Para a polícia, a jovem afirmou que havia abortado espontaneamente e jogado o bebê morto dentro do carro do pai.

A Versão de Patricia, é contestada pelo laudo do IML que constatou que a criança foi morta e esquartejada. A polícia investiga se o crime teria relações com rituais de magia negra.

Ainda de acordo com a polícia, a jovem foi encaminhada para a Unidade Prisional de Itapecuru Mirim.

Relembre o caso

No dia 3 de maio, o corpo de uma criança foi encontrado dentro de uma sacola em um matagal, na cidade de Itapecuru-Mirim.

As investigações da polícia resultaram na prisão do casal Jackson Matos Pereira e Marilene dos Santos Menezes, por suspeita de participação no crime.

Imagens de câmeras de segurança mostravam o veículo de Jackson, que é taxista, nas proximidades do local onde o corpo da criança foi encontrado. Ele afirmou na delegacia que teria descartado o embrulho depois de sentir um forte mau cheiro e desconfiar que seria carne apodrecida deixada no veículo por algum passageiro.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte