DIVERSÃO SEGURA

Concessionária de energia alerta para segurança nas festas juninas

Decorações suspensas, como as bandeirolas, devem ser mantidas distantes da rede de eletricidade; ligação clandestina é crime e pode causar tragédia

O ESTADO / COM INFORMAÇÕES DA CEMAR

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h24
Instalação na rede durante as festas precisa ser regular
Instalação na rede durante as festas precisa ser regular (energia elétrica)

A temporada junina não dispensa intensa diversão em um cenário de encantar olhares, obviamente, mas também não permite carência de segurança, sobretudo no que diz respeito às de­corações suspensas utilizadas nos arraiais, como as tradicionais bandeirolas de todas as cores, que vão, por vezes, ao encontro de postes de iluminação, quando não na própria rede de eletricidade, ponto que pode ser perigoso quando o decorador exita de cuidados imprescindíveis para evitar acidentes. De acordo com a Companhia Energética do Maranhão (Cemar), a recomendação é manter qualquer apetrecho decorativo longe da rede de distribuição de energia. A concessionária também alerta para ligação clandestina neste período.

Em São Luís, a movimentação dos arraiais começou desde o primeiro dia deste mês, e muitas comunidades da capital costumam realizar suas próprias comemorações, de tal forma que constroem a própria decoração do espaço pa­ra abrilhantar a festa, e alguns riscos são iminentes quando esse hábito desconsidera cuidados essenciais que podem salvar vidas. Segundo a Cemar, que administra a distribuição de energia em todo o Maranhão, não é indicado que os serviços decorativos dos arraiais, como a utilização de bandeirinhas suspensas, sejam efetivados próximos à rede de eletricidade, postes e, até mesmo, rede de telefonia, que vez ou outra partilha do mes­mo espaço com os fios de alta-tensão nas vias das cidades e é prática indevida e comum durante o período.

Segundo a concessionária de energia maranhense, as bandeirinhas juninas dão um colorido a mais aos arraiais. Isso é um fato. Mas elas não devem ser amarradas à rede de telefonia, nem aos postes e cabos da rede elétrica, uma vez que o recomendado, por segurança de quem decora e da população em geral, é que esses tipos de adereços fiquem a um metro de distância da rede de distribuição. Além disso, a Cemar orienta que o mais indicado é utilizar uma estrutura própria para fixação da decoração, pois subir em postes ou apoiar as escadas de metal na fiação elétrica, pode ge­rar uma situação de alto risco para quem o faz.

De acordo com Francisco Ferreira, executivo de segurança da Cemar, um dos acidentes mais comuns envolvendo a rede de distribuição de energia, se deve, também, à soltura de “foguetes, rojões e fogos de artifícios, pois estes aparatos manuseados incorretamente podem causar graves ocorrências”. Desta forma, “o correto é comprá-los em lojas autorizadas e nunca soltá-los em direção às pessoas e nem à rede elétrica”, para evitar tragédias que podem custar a vida de quem só está em busca da tradicional diversão junina – um dos maiores e duradouros festejos da capital e demais municípios do estado.

Ligações clandestinas
Além de pendurar bandeirolas próximo à rede de distribuição de energia, outro grande risco se deve à ligação clandestina da corrente elétrica, além de ser uma prática criminosa, uma vez que o desvio de energia elétrica é crime. “No caso de ligações clandestinas que, porventura, forem identificadas, serão retiradas imediatamente pe­las equipes da Cemar, como forma de preservar a segurança das pessoas. O desvio de energia elétrica é crime, previsto no artigo 155 do Código Penal, e pode chegar a até 4 anos de reclusão, além de representar riscos de morte a quem faz e a toda população próxima”, explicou o executivo de segurança da concessionária.

Neste caso, em que o organizador de uma festa quer ter não só bons rendimentos, mas também a segurança do seu público-alvo, o mais correto a se fazer é manter contato com a Cemar para que seja feita uma ligação regular, que não prejudique a outrem. “As solicitações podem ser feitas em qualquer agência de Atendimento da Cemar ou postos credenciados. Os documentos necessários são: RG, CPF, a carga dos equipamentos que serão usados no local e o endereço completo de onde será realizada a festa ou evento”, complementou Francisco Ferreira.

SAIBA MAIS

ORIENTAÇÕES

– Em situação de risco, a Cemar orienta a população a ligar imediatamente para Central de Atendimento 116 e para o Corpo de Bombeiros 193. Em casos de acidentes com curto-circuito, a orientação é não se aproximar de cabos ou fios partidos, e imediatamente isolar o local e jamais se aproximar de objetos ou pessoas em contato com os fios energizados;

- Os promotores de festa e ambulantes não devem deixar para fazer a solicitação de última hora, pois o prazo para pedidos de ligações provisórias é de 5 dias de antecedência do evento, e a companhia tem o prazo de 72 horas para executar o serviço.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.