Polícia | Rastro de destruição

Quadrilheiros de olho em agências da capital; cinco foram atacadas este ano

Total de 11 bancos já foram atacados no estado este ano; último caso ocorreu na madrugada de ontem e o alvo foi o Banco do Brasil, no Calhau
Ismael Araújo04/06/2019
Quadrilheiros de olho em agências da capital; cinco foram atacadas este anoAgência do Banco do Brasil, no Calhau, ficou destruído com a explosão, mas o dinheiro não foi levado (Paulo Soares)

SÃO LUÍS - Cinco agências bancárias na capital já foram atacados por criminosos este ano. Apenas três casos foram registrados no ano passado. Os dados do Sindicato dos Bancários revelam ainda, que somente este ano 11 agências já foram alvo de assaltantes em todo o estado. O último registro desse tipo de crime foi na madrugada desta segunda-feira (3). Os criminosos destruíram o Banco do Brasil, na Avenida dos Holandeses, no Calhau, mas, segundo a polícia, nenhuma quantia em dinheiro foi levada.

As marcas de destruição deixada pelos assaltantes eram visíveis na porta do banco. Havia estilhaços de vidro e destroços espalhados na calçada. Mais sinal desse ataque havia na parte interna, já que o teto despencou e um dos caixas eletrônicos virou ferros retorcidos. Também havia buracos nas paredes devido a explosão.

O delegado Luciano Bastos, do Departamento de Combate a Roubo a Instituições Financeiras (Decrif), órgão da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), informou que a ação criminosa teria ocorrido por volta das 2h30. Dois ou três bandidos entraram na agência e realizaram a explosão. Há ainda a possibilidade da participação de outros criminosos servindo de apoio.

Luciano Bastos informou que os criminosos destruíram a agência, mas não conseguiram explodir a parte em que fica o dinheiro no caixa eletrônico. Os policiais ainda ontem estiveram na agência onde colheram as primeiras informações sobre o caso. O trabalho pericial também foi feito pelos peritos do Instituto de Criminalística (Icrim). “A polícia já começou a investigar para poder identificar esses quadrilheiros”, disse o delegado.

“A polícia já começou a investigar com o objetivo de identificar esses quadrilheiros”.Luciano Bastos, delegado da Seic

Outros ataques

Outras quatro agências da capital já foram alvo de criminosos este ano. Um dos casos ocorreu no dia 14 de março quando os quadrilheiros atacaram o Banco do Brasil, no bairro do Anil. Essa ação, segundo a polícia, teve a participação de dois ou quatro assaltantes. Eles entraram na agência e conseguiram realizar a explosão, fugindo em seguida em um veículo prata de placas não identificadas.

Mais duas agências do Banco do Brasil foram assaltados. Uma delas na madrugada do dia 23 de janeiro. Nesse caso, a agência atacada ficava a menos de dois quilômetros da sede do Comando Geral da Polícia Militar, com a explosão de dois caixas eletrônicos. Os bandidos recolherem o dinheiro fugiram em um veículo vermelho, em direção ao bairro Renascença. A explosão deixou um rastro de destruição no local. A Seic investigou o caso e prendeu Franklin Licon Silva Araújo, Halison Hansen Santos Rego, Francisco das Chagas de Moraes Filho, Gabriel Santos Lopes, Mira Fortes Tanakawa e Iuri Araújo dos Santos, o JP ou Kauai, líder de uma facção criminosa que teria fornecido armento para o grupo criminoso.

O outro caso de assalto foi na agência do bairro da Alemanha, no dia 17 de janeiro. Segundo a polícia, esse roubo foi realizado por um bando composto por cinco criminosos. Dois bandidos tiveram acesso ao banco e utilizaram um maçarico para arrombar o caixa eletrônico, enquanto os outros ficaram em um veículo, dando suporte aos companheiros.

No dia 24 de fevereiro, os bandidos arrombaram a Caixa Econômica Federal do Monte Castelo. Eles conseguiram levar as câmeras de videomonitoramento, as bandejas de dinheiro dos caixas eletrônicos e fugiram. Policiais militares ainda foram acionados, mas o caso está sendo investigado pela Polícia Federal.

Entenda

Ataques a bancos este ano no Maranhão

Dia 17 de janeiro: Banco do Brasil na Alemanha

Dia 23 de janeiro: Banco do Brasil no Calhau

Dia 3 de fevereiro: Bradesco em Chapadinha

Dia 24 de fevereiro: Caixas Econômica no Monte Castelo

Dia 6 de março: Banco do Brasil em Coelho Neto

Dia 10 de março: Caixa Econômica Federal em Timon

Dia 14 de março: Banco do Brasil no Anil

Dia 27 de março: Bradesco em Formosa da Serra Negra

Dia 9 de abril: Banco do Brasil em Santa Inês

Dia 11 de abril: Banco do Brasil em Santa Inês

Dia 03 de junho: Banco do Brasil no Calhau

* incluindo explosões e tentativas

Número

11

é o número de ataques a agências bancárias este ano no Maranhão, cinco deles na capital

Saiba mais

Quadrilheiros explodiram durante a madrugada do dia 9 de abril o Banco do Brasil de Santa Inês. De acordo com a polícia, essa ação criminosa foi realizada por quatro bandidos e a agência ficou destruída.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte