Estado Maior

Joguinho

03/06/2019

Um jogo de empurra-empurra. Assim se tornou a questão da demissão de 20% dos cobradores do transporte público de São Luís. Empresários garantem que demissões foram acordadas com o sindicato dos rodoviários. Presidente do sindicato, Isaías Castelo Branco, decidiu confrontar a informação e pede que provas sejam apresentadas que demonstrem que ele estava de acordo com as demissões.
Segundo os empresários, as mudanças no sistema de transporte eram de conhecimento, ainda, da Justiça do Trabalho e do Ministério Público.
Somente a Prefeitura de São Luís não teve qualquer participação no acordo que levou à demissão de cobradores em empresas que conseguiram a concessão do poder público para explorar o serviço do transporte público.
Independente de quem é a culpa, é necessário que a Prefeitura de São Luís e, principalmente, os vereadores da capital se movimentem para buscar alternativas que reduzam o impacto do fechamento de vagas no transporte público.
Por enquanto, o que se acompanha são movimentos de aproveitadores que pouco poderão contribuir para a questão, que segundo os empresários, são mudanças que a inovação tecnológica traz.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte