Polícia | Fraude

Ex-prefeito é preso por decisão judicial em Esperantinópolis

peração Cidade Limpa, além do ex-prefeito Raimundo Jovita, prendeu também, o ex-secretário de Administração, Márcio Alencar Silveira e um empresário
Ismael Araújo30/05/2019
Ex-prefeito é preso por decisão judicial em Esperantinópolis Doutor Raimundinho, ex-prefeito de Esperantinópolis preso ontem (Divulgação)

ESPERANTINÓPOLIS - O ex-prefeito de Esperantinópolis, Raimundo Jovita de Arruda Bonfim, o Doutor Raimundinho, o ex-secretário de Administração dessa cidade, Márcio Alencar Silveira, e o sócio da empresa A.R. Locadora de Máquinas e Veículos, Rodrigo Túlio Freitas Viana, o Rodrigo Rico ou Rodrigo Ostentação, foram presos ontem durante a operação Cidade Limpa, realizada em Bacabal e Imperatriz Eles são acusados do desvio de verba pública, com prejuízo de mais de R$ 8 milhões.

Eles foram presos pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público (MP), com apoio da Superintendência da Polícia Civil do Interior (SPCI), em cumprimento de mandados de prisão temporária expedido pela Justiça da Comarca de Esperantinópolis.

Ainda ontem, os detidos prestaram esclarecimentos sobre o caso aos representantes do Gaeco e da SPCI. A assessoria de comunicação do Ministério Público informou que essa fraude vinha ocorrendo desde o início do ano de 2015.

Fraudes

Ainda de acordo com o MP, a cúpula da administração de Esperantinópolis, coordenada por Doutor Raimundinho, realizou uma licitação seguindo o modelo de pregão presencial, com a empresa vencedora tendo que fazer o serviço de limpeza do município. A.R.Locadora de Máquinas e Veículos, que em 2015, tinha como sócios Rodrigo Túlio e Samuel Karlos Araújo Nobre, foi a empresa vencedora. O serviço seria prestado por R$ 1.230.000,00.

O MP constatou indícios de fraudes no processo licitatório. Um deles foi referente a ausência de publicidade. Também foram constatados que os documentos juntados aos autos da licitação não obedecem a uma ordem cronológica e teria sido montado.

Foi apurado ainda pelo MP que embora o contrato previsse que todas as despesas com os funcionários seria de responsabilidade da empresa, na maioria das vezes, era utilizada mão de obra de servidores públicos. Alguns deles teriam sido indicados diretamente pelo ex-prefeito.

No decorrer da investigação, o MP conseguiu constatar que a A. R. Locadora de Máquinas e Veículos, na mesma administração do Doutor Raimundinho, firmou outros contratos com Esperantinópolis no valor de R$ 6.243.000,00, mas os serviços não foram executados. Há informações de que esse valor foi desviado e a maioria repassado aos familiares do gestor municipal, do ex-secretário Márcio Alencar e vereadores da época.

O MP atestou que a empresa não tinha capacidade técnica para executar os serviços para os quais foi contratada. Em 2015, a firma disponibilizou apenas três veículos, que seriam insuficientes para atender ao serviço de locação de várias secretarias e incompatíveis com a atividade de limpeza pública. Também não havia empregados em seus quadros, que evidenciou ser uma empresa de fachada e destinada a intermediar o desvio de verbas públicas.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte