Polícia | Criminalidade

Dois irmãos são mortos logo após deixarem o presídio de Pedrinhas

Corpos dos ex-detentos foram encontrados nas proximidades da estrada de ferro, na Estiva; polícia acredita que esse crime foi praticado por faccionados
Ismael Araújo30/05/2019
Dois irmãos são mortos logo após deixarem o presídio de PedrinhasComplexo Penitenciário de Pedrinhas. (Divulgação)

SÃO LUÍS - Os irmãos Heronaldo e Simão Silva Ramos, que tinham acabado de deixarem o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, foram brutalmente assassinados, ontem, nas proximidades da estrada de ferro, no bairro da Estiva. A polícia informou que as vítimas eram natural de Santo Amaro e respondiam pelo crime de assalto. Há informações de que o duplo homicídio tenha sido praticado por uma facção criminosa.

Os ex-presidiários foram mortos a tiros e a golpes de arma branca e pauladas, principalmente na cabeça e no abdômen. Peritos do Instituto de Criminalística (Icrim) constataram, também, marcas de sangue no local e em um pedaço de madeira deixado no local. Os corpos foram removidos para o Instituto Médico Legal (IML), no Bacanga, para a autópsia e logo depois foram liberados para os familiares.

Policiais da Superintendência de Homicídio e Proteção a Pessoas (SHPP) também estiveram no local e começaram a investigar o caso. Os dois irmãos tinham deixado o presídio e ainda estavam com o alvará de soltura. A polícia acredita que eles seguiam caminhando pela estrada de ferro quando foram abordados pelos autores do crime.

A polícia foi informada sobre o duplo homicídio por meio de denúncia de moradores da área que acharam os corpos. Até ontem a tarde nenhuma pista dos criminosos tinha sido encontrada.

Traição

Ainda ontem, a polícia informou que uma relação extraconjugal resultou na morte de Hamilton Costa, de 29 anos, na noite de terça-feira, 28, na Vila Conceição, área do Alto do Calhau. O principal acusado desse crime foi identificado apenas como Búfalo Bill, e seria amigo da vítima.

No dia do crime, ele teria seguido a sua esposa e a vítima até uma área de matagal, no bairro, e no local, teria presenciou a sua esposa mantendo relação sexual com o amigo. A mulher conseguiu fugir, mas Hamilton Costa acabou golpeado e ainda levou várias pauladas na cabeça e morreu no local. O corpo foi encontrado semidespido e o acusado fugiu.

O crime está sendo investigado pela SHPP, que até a tarde de ontem não havia localizado o criminoso. A polícia informou que Hamilton Costa não fazia parte de facção criminosa

Investigação

Outro caso investigado pela polícia ocorreu em Imperatriz e teve como vítima o apenado Daniel Pereira da Silva, de 19 anos. Segundo o delegado Praxísteles Martins, da Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoas, o detento foi assassinado por asfixia na cela do Presídio Regional do Itamar Guará, nessa cidade. O corpo da vítima foi encontrado na tarde de terça-feira com um lençol enrolado no pescoço.

Os acusados, segundo o delegado, simularam um enforcamento, mas os peritos do Icrim constataram que a vítima foi assassinada devido a uma rixa entre facções criminosas. Os suspeitos foram ouvidos inda ontem na delegacia e vão responder pelo crime de homicídio.

Daniel Pereira tinha sido transferida na sexta-feira passada para essa unidade prisional. Ele era condenado a 21 anos por latrocínio (roubo seguido de morte), que teve como vítima o mototaxista João Paulo Uchôa Peixoto, o Panda, crime ocorrido em dezembro de 2017, em Imperatriz.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte