Política | Articulação

Governo retrocede e desiste de Coaf no Ministério da Justiça

Decisão foi tomada em conjunto pelos ministros Paulo Guedes e Sérgio Moro com o auxílio do presidente Jair Bolsonaro
O Estado MA28/05/2019 às 16h49
Governo retrocede e desiste de Coaf no Ministério da JustiçaMinistros Paulo Guedes e Sérgio Moro concordam com mudança do Coaf para Economia (Reprodução)

Após carta do presidente da República, Jair Bolsonaro, PSL vai votar pela manutenção do órgão no Ministério da Economia. A informação foi confirmada nesta terça-feira (28) pelo líder do partido no Senado, Major Olimpio, após conversar com o chefe do Executivo.

O senador havia reiterado na véspera que apresentaria um destaque durante a votação da Medida Provisória 870 para devolver o Coaf à pasta do ministro Sergio Moro. Nesta terça o senador foi convencido por Bolsonaro e por telefonemas do próprio Moro e do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que a mudança não iria atrapalhar a atuação do órgão, mas poderia prejudicar a aprovação da MP.

Arquiteto e defensor da mudança do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) para o Ministério da Justiça, o ministro Sergio Moro reconheceu o risco para toda a reforma administrativa caso a proposta seja aprovada pelo Senado, e disse que governo pode encontrar outra solução se a Medida Provisória 870 for aprovada pelos senadores como está.

Moro admitiu que a volta do órgão para o Ministério da Economia, aprovada na semana passada pela Câmara dos Deputados, não era o que gostaria, mas disse que o governo não pode correr o risco de uma mudança no Senado terminar por derrubar toda a reforma administrativa.

A MP 870 reduziu o número de ministérios de 29 para 22 e mudou alguns órgãos de lugar. Ao ser aprovada sem mudanças pelo Senado, a MP seguirá para sanção presidencial. Qualquer mudança, no entanto, obrigaria a devolução para a Câmara e uma nova votação em plenário, o que precisaria ser feito até a próxima segunda-feira ou o texto perderá a validade.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte