Cidades | DESCASO

População se queixa de descaso em importante via no Turu

Falta pavimentação asfáltica, restauração de calçadas, capina e segurança na Rua Capitão Calixto; vegetação cresce sobre rede elétrica causa oscilação na corrente de energia das residências
26/05/2019 às 00h00
População se queixa de descaso em importante via no TuruBuracos atrapalham mobilidade de pessoas e veículos (Biné Morais / O ESTADO)

SÃO LUÍS – A rotina dos moradores do bairro Turu, que utilizam da Rua Capitão Calixto, via de acesso à Avenida São Luís Rei de França, tem sido de dificuldade nos últimos meses. Além de buracos, que deixam os condutores receosos de prejuízos, a calçada que garantia segurança ao pedestre que por lá transita foi tomada pela vegetação. Falta de policiamento na região também é reivindicação da comunidade.

O trânsito na via é cada vez mais complicado. Segundo pedestres, que têm de atravessar os mesmos obstáculos todos os dias para chegar até a avenida, em busca do transporte coletivo de linha diferente das que circulam pelo local, o poder público tem deixado-os à mercê de problemas que poderiam – ou deveriam – ser sanados pelo Município. Para o aposentado Nelício Araújo, de 72 anos, a situação da Rua Capitão Calixto tem impactado cada vez mais diretamente na vida dos moradores da região.

“É revoltante a gente pagar imposto e ter de conviver com uma situação dessas. A calçada já está tomada pelo mato há um bom tempo. Quando chove, então, a dificuldade é muito maior, porque é impossível a gente evitar de se sujar, já que não tem por onde caminhar sem botar os pés na lama que fica empossada nos buracos”, contou o aposentado. “Eu diria, na verdade, que essa situação é uma palhaçada, já que a Prefeitura não resolve porque não tem respeito para com a população”.

Ainda de acordo com Araújo, as três linhas de ônibus que circulam na área estão se tornando sucatas por causa da buraqueira. “A via é praticamente intrafegável. Usuários de ônibus como eu, têm de enfrentar o caos que é o momento em que o coletivo atravessa os buracos, cada vez mais profundo, pois o que não se cuida pior fica. Ou seja, é hipocrisia investir em ônibus novo com tanto buraco que tem na cidade. Maior exemplo desse descaso é essa rua no Turu”, pontuou.

Descaso
A indignação por causa da mobilidade no perímetro não se restringe ao idoso e vai além. De acordo com a turismóloga Diana Barros, ter de se locomover pela Rua Capitão Calixto em direção à Avenida São Luís Rei de França é uma tarefa árdua há algum tempo. “A gente já foi obrigado a se acostumar, porque mesmo com tanta reclamação nada é feito. É impossível não sujar os sapatos, já que a gente tem de caminhar pelas ruas e enfrentar os mesmos buracos que os carros. Alguns condutores até reduzem a velocidade quando veem um pedestre nessa missão, mas outros não estão muito preocupados e acabam nos sujando”, frisou.

No caso da turismóloga, assim como de tantos outros transeuntes, as calçadas de um lado e outro da via seriam essenciais nessa travessia que ela, a exemplo, tem de realizar para cumprir com os compromissos do dia a dia. Mas, contrariamente, a vegetação a impede de utilizar o passeio público, também com piso desgastado por falta de reparo.

Segurança
Ainda segundo ela, outro grave problema da região é a falta de policiamento. “Muitos assaltos acontecem nessa região, nessa rua. Seja de manhã, à tarde ou noite, é cada vez mais comum a gente se deparar com um ou outro que foi assaltado. Recentemente, um rapaz foi abordado por volta de 7h, quando ia para o trabalho, e, ao ter reagido, foi baleado pelos assaltantes”, narrou. Por fim, disse que, com a criminalidade na região, consequência da falta de policiamento, tem adotado medidas para evitar que a filha seja uma vítima. “Como minha filha precisa sair cedo de casa por causa do trabalho, eu quem fico na parada esperando o sinal do ônibus. Quando ele vem vindo, é que eu a chamo, no intuito de evitar que ela seja abordada por algum assaltante que leve seus pertences”, contou.

O Estado manteve contato com a Prefeitura de São Luís, para indagar que medidas estão sendo adotadas para conter a buraqueira e solucionar a falta de capina no local, mas não retornou o contato.

Quanto à segurança, O Estado também buscou reposta na Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-MA), que informou que a localidade é alvo constante de ações preventivas e ostensivas, realizadas pelo 8ºBPM e 20° BPM. As viaturas de área e equipes da Albatroz realizam patrulhamentos em vias e corredores, principalmente em horários estratégicos para inibir ações criminosas.

A SSP frisou que, em casos de assaltos, furtos e arrombamentos, as vítimas podem contar com auxílio do 4º Distrito Policial do Vinhais; 7º DP do Habitacional Turu e 20ºDP do Parque Vitória, em horário comercial, para registro de boletim de ocorrência. Dessa forma as forças de segurança poderão mapear as áreas com maior ocorrência de delitos. Após esse horário os casos devem ser registrados no DP do Cohatrac, que funciona em regime de plantão. Por fim, SSP ressalta a importância de acionar as autoridades policiais pelo 190, de forma imediata.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte