Política | Espionagem

Deputados federais atuam para esclarecer denúncias de delegados

Aluisio Mendes e Edilázio se movimentam após pedido de apuração determinado pelo Tribunal de Justiça
Ronaldo Rocha da editoria de Política26/05/2019 às 07h00
Deputados federais atuam para esclarecer denúncias de delegadosDivulgação

Os deputados federais Aluisio Mendes (Podemos) e Edilázio Júnior (PSD) se movimentaram com mais intensidade na última semana em Brasília e em São Luís, em busca do esclarecimento a respeito da veracidade ou não das denúncias feitas pelos delegados de Polícia, Tiago Bardal e Ney Anderson Gaspar contra o titular da Secretaria de Estado de Segurança Pública, Jefferson Portela (PCdoB).

Os delegados acusam o secretário de determinar investigações clandestinas contra quatro desembargadores do Tribunal de Justiça, seus respectivos assessores e familiares, além de lideranças políticas, a exemplo do senador Roberto Rocha (PSDB), hoje adversário político do governador Flávio Dino (PCdoB).

Aluisio pediu a convocação dos dois delegados para prestarem esclarecimentos na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara Federal.

O pedido ainda será apreciado pelo colegiado.

Edilázio Júnior - que já havia pedido ao Ministério da Justiça a autorização para que a Polícia Federal apurasse o caso -, pediu auditoria do sistema 'Guardião' - utilizado pela polícia na interceptação telefônica de investigados -, ao Ministério Público Estadual.

Ele se reuniu com o subprocurador Geral de Justiça do Maranhão, Francisco Barros para tratar do tema.

Para o parlamentar, somente uma auditoria pode esclarecer a veracidade ou não das denúncias.

“Nosso objetivo é tão somente esclarecer se as denúncias procedem ou se são falsas. Se na auditoria do sistema forem encontrados os números telefônicos das pessoas citadas pelos delegados, confirma-se aí a veracidade. Se não, ambos [os delegados] podem ser responsabilizados na forma da lei. Estamos em busca de respostas para um caso que é grave e que já ganhou repercussão nacional”, explicou.

SABIA MAIS

Na semana passada o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos, pediu apuração das denúncias feitas pelos delegados. A apuração deve ser feita pelo Ministério Público e pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Jefferson Portela, por sua vez, nega as acusações e já anunciou ação criminal contra Tiago Bardal e Ney Anderson.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte