Vida | Alerta

Alimentos inflamatórios podem ser inimigos da dieta, saúde e boa forma

Especialista aponta frituras, conservantes, álcool e glúten nessa categoria, mas alerta que problema varia de acordo com cada indivíduo
24/05/2019

RIO DE JANEIRO - Embora muitos não saibam, alguns alimentos possuem ação inflamatória e acabam causando desconfortos para quem os consome. Se após consumir algum alimento você sente estufamento, azia, gases, retenção, edema e inchaço, crises de rinite e sinusite, enxaqueca você pode estar consumindo um alimento que na verdade é um inimigo da boa forma e da sua saúde. Mas como identificá-los?
O nutricionista e educador físico Leone Gonçalves, especializado em longevidade e ortomolecular, aponta alguns dos principais alimentos que tem ação inflamatória no organismo: “Em geral, frituras, conservantes, nitratos, refrigerantes, bebidas alcoólicas e alimentos ricos em glúten, mas isso varia de cada indivíduo, metabolismo e particularidades como doença celíaca ou intolerâncias, como a lactose, por exemplo”.
O especialista acredita que certos alimentos ao serem evitados já representam redução de medidas, de inchaço e retenção de líquidos: “Por exemplo, preparar alimentos em óleos com temperaturas extremamente altas produz a acrilamida, uma neurotoxina que provoca a inflamação. Logo, reduzir ou eliminar as frituras já se traduz em menos inflamação. Diminuir o pão branco da dieta também. Mesmo que você não tenha doença celíaca, que é intolerância ao glúten, comidas com muita farinha refinada produzem sinais pró-inflamatórios como citocinas, por isso os benefícios ao diminuir o pão branco. No entanto, para identificar os alimentos que têm maior potencial inflamatório é preciso consultar um nutricionista e fazer exames específicos, para montar uma dieta que se adeque melhor às suas necessidades”.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte