Polícia | Investigação

TJ exige investigação de denúncia de delegados contra Jefferson Portela

Presidente do tribunal emite nota exigindo que decisão do secretário de mandar espionar os desembargadores seja rigorosamente investigada
Ismael Araújo18/05/2019
TJ exige investigação de denúncia de delegados contra Jefferson PortelaJefferson Portela foi denunciado por delegado sobre espionagem (Arquivo)

SÃO LUÍS - O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Joaquim dos Anjos, emitiu nota, nesta sexta-feira, 17, exigindo que seja realizada uma rigorosa e imparcial investigação sobre as denúncias feitas pelo ex-superintendente de Investigações Criminais (Seic), Thiago Bardal, e pelo delegado da Polícia Civil, Ney Anderson Gaspar, acusando o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, de ter determinado uma suposta espionagem contra desembargadores e juízes do estado.

A acusação feita por Ney Anderson revela que as ordens por Portela eram para investigar, monitorar e colocar escutas ilegais em veículos de magistrados e espionar, também, familiares dos desembargadores. Os denunciantes afirmam que o secretário de Segurança Pública teria chamado determinados juízes de bandidos e assessores jurídicos de “barriga de aluguel”.

Ney Anderson denunciou que teria recebido ordem de Portela para monitorar um determinado desembargador devido a sua filha ser advogada do agiota conhecido como Pacovan e teria impetrado um pedido de Habeas Corpus, no Tribunal de Justiça. Inclusive, a polícia fez uma reclamação desse desembargador para a Corregedoria Nacional de Justiça (CNJ).

O delegado denunciou, ainda, que Portela tinha se irritado ao ver o aprofundamento nas investigações do assassinato do repórter de Política de O Estado e blogueiro, Décio Sá, ocorrido no dia 23 de abril de 2012, em um bar da Avenida Litorânea. Esta mesma denuncia tinha sido feita por Thiago Bardal durante depoimento ao Poder Judiciário.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte