O Mundo | Homofobia

Polícia cubana prende ativistas LGBT após proibir passeata

Protestos foram severamente rechaçados pelo regime comunista
O Estado MA13/05/2019 às 17h43
Polícia cubana prende ativistas LGBT após proibir passeataMovimento LGBT foi rechaçado pela polícia em Cuba (Reprodução)

A polícia do regime ditatorial cubano agiu violentamente contra o movimento LGBT nesta semana. A ação aconteceu durante uma marcha pelos direitos LGBT organizada em protesto contra o cancelamento do desfile contra a homofobia. O desfile acontece anualmente, mas foi cancelado em 2019 pelas autoridades do país.

Cerca de 100 manifestantes participaram do protesto no último fim-de-semana. Aos gritos de “sim, é possível!”, eles chegaram a caminhar apenas 400 metros pela avenida Paseo del Prado, no centro histórico de Havana. A caminhada foi interrompida pela polícia e ativistas de direitos LGBT foram presos.

O movimento já havia sido abalado após o cancelamento da tradicional “Conga”, passeata , organizada anualmente há mais de 10 anos, no Dia contra a Homofobia. De acordo com informações do próprio regime cubano, o cancelamento da passeata aconteceu por ordem do Ministério da Saúde cubano.

"Este momento marca um antes e um depois para a comunidade LGBT, mas também para a sociedade civil cubana em geral", avaliou o jornalista independente e ativista LGBT Maykel Gonzalez Vivero.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte