Política | Em Imperatriz

Prefeito agride radialista e reage: ''não tenho sangue de barata''

Justino Filho gravou vídeo relatando agressão na Secretaria de Esportes; prefeito Assis Ramos confirma confusão e diz que foi provocado
Gilberto Léda10/05/2019 às 11h33
Prefeito agride radialista e reage: ''não tenho sangue de barata''Reprodução/Youtube

O radialista Justino Filho divulgou nas redes, nesta sexta-feira (10), um vídeo no qual acusa o prefeito de Imperatriz, Assis Ramos (DEM), de agressão.

Segundo o comunicador, ele estava na Secretaria de Esportes para conversar com o titular da pasta, Bispo Eudes, quando foi surpreendido pelo democrata.

“De repente o prefeito veio, num ato de covardia, aqui na secretaria, alguém disse para ele, e ele pegou, veio e me agrediu covardemente”, declarou, em vídeo que já circula nas redes.

Nas imagens o radialista aparece com sangramento no supercílio. “Ele não agrediu o Justino, ele agrediu o povo de Imperatriz”, afirmou.

"Não tenho sangue de barata", diz prefeito

Em contato com O Estado, o prefeito Assis Ramos confirmou as agressões e disse que foi provocado.

"Uma coisa é criticar a gestão, outra é me atacar. Ele há dias vem me chamando de corrupto, dizendo que eu já era corrupto na polícia [Ramos é delegado da Polícia Civil]. E hoje, ele me esculhambou na frente dos meus servidores. Eu não tenho sangue de barata", declarou.

O gestor disse que reagiu de maneira desproporciona, que reconhece o erro e que responderá por ele. Mas ressaltou que não aceita ataques pessoais.

"Ele fazia a mesma coisa com o [ex-prefeito Sebastião] Madeira. Eu sei q tá errado, vou responder pelos meus erros. Mas não vou aceitar isso. Sou pai de família, tenho uma filha de 17 anos, que vai ficar vendo ele me chamar de corrupto? Vai pra Secretaria de Esporte me esculhambar?! Foi provocar lá dentro", completou.

Após a confusão, o radialista foi prestar queixa contra o prefeito numa delegacia.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte