Política | Universidades

Educação: Flávio Dino volta a criticar governo Bolsonaro

Governador criticou decisão do Governo Federal de cortar recursos de universidades sem ter justificativa técnica para a redução dos repasses
Ronaldo Rocha da editoria de Política07/05/2019

O governador Flávio Dino (PCdoB) aproveitou a movimentação da oposição em Brasília após anúncio do Governo Federal de cortes de gastos nas universidades federais de todo o país, para criticar a medida e tentar aumentar o desgaste do presidente Jair Bolsonaro (PSL).
Por meio de seu perfil em rede social, Dino afirmou que o anúncio do ministro da Educação, Abraham Weintrab de corte de recursos por meio de “critérios ideológicos” é inconstitucional.
“Usar critérios ideológicos, e não técnicos, para cortar recursos de universidades fere a regra constitucional da autonomia universitária (art. 207 da Constituição). Ou haverá novo recuo, ou nova derrota no Judiciário. Lamentável tanta confusão”, disse.
Ele também divulgou um vídeo de uma reunião com auxiliares de primeiro escalão e reitores universitários do estado, no qual faz duras críticas às medidas anunciadas pelo Governo Federal.
“Ampliamos em 40% as vagas nas universidades estaduais; criamos o Iema e a Uemasul; e dobramos número de bolsas de pós-graduação. Coerente com isso, na presença dos reitores da UFMA, Uema, IFMA, Iema e Uemasul, fiz a defesa das instituições e dos profissionais da Educação”, escreveu na legenda que acompanhou o vídeo.
“Não vou deixar de defender as universidades, porque sou filho de universidade, me construí nela. E só sou governador porque sou filho de universidade, do conhecimento e do saber e isso não pode ser negado às futuras gerações. Sobretudo àquelas que agora, pela primeira vez na história, começaram a sonhar de ter um filho na universidade”, disse.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte