Cidades | Balneabilidade

Praias continuam impróprias para banho em São Luís

Quem foi à orla aproveitar o banho de mar, deparou-se, mais uma vez, com os avisos de "trecho impróprio", que estão nas praias da Grande Ilha
29/04/2019
Praias continuam impróprias para banho em São LuísPlaca adverte que água é imprópria para banho

São Luís - O mês de abril tem sido caracterizado por fortes ventos e grande volume de chuvas. Mas a onda de calor e os raios de sol sempre encontram espaço, embora a população tenha sido privada do banho de mar devido à qualidade da água. Os banhistas sentem falta nos fins de semana e, principalmente, quando as condições climáticas favorecem o mergulho.

Ontem, quem foi à Praia de São Marcos deparou-se mais uma vez com o aviso de balneabilidade. As placas indicativas de que há trechos impróprios para banho estão por toda a parte. “O problema é que em todas as praias, praticamente, há placas de alerta sobre a poluição, infelizmente. A gente tem aquela esperança de conseguir aproveitar em alguma delas, mas parece que está difícil. É muito complicado você mergulhar em um determinado trecho se bem ao lado está outro considerado inapropriado”, lamentou o praticante de Crossfit Rubens Fonseca, que aproveitava o domingo na orla da Avenida Litorânea.

Principalmente as crianças têm sido monitoradas pelos pais quando a família está desfrutando das benesses do litoral. No Olho d’Água, alguns só permitem que os filhos relaxem em poças d’água, o que também seria um problema. “A gente acredita que, de repente, possa ser água da chuva, porque se for do mar, também está poluída”, descontraiu Valéria Lindoso.

Laudo
Recentemente, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais divulgou as informações das condições de balneabilidade das praias de parte da região metropolitana de São Luís, resultante dos laudos emitidos pelo Laboratório de Análises Ambientais. O documento refere-se à ação de monitoramento realizada no período de 24 de março e 21 de abril deste ano, integrando a série de acompanhamento semanal das condições de balneabilidade das praias da Grande Ilha.

Para o laudo, foram coletadas e analisadas amostras de água de 21 pontos, distribuídos nas praias da Ponta d’Areia, São Marcos, Calhau, Olho d’Água, Praia do Meio e Araçagi. A ação foi empreendida por técnicos especializados nesse tipo de trabalho. O documento revela que há vários trechos com água poluída nos perímetros analisados. Um deles é da Praia de São Marcos em frente ao Agrupamento Batalhão do Mar. Na Praia do Calhau, o relatório aponta, entre outros, o trecho em frente à Pousada Tambaú, área de circulação constante de turistas.

Na Praia da Ponta d’Areia, o perímetro de mar coincidente com uma das paisagens mais bonitas da cidade, em frente ao Hotel Brisamar, também está impróprio. Clécio de Jesus, vendedor de água de coco na Ponta d’Areia, disse que há quem não se importe com as placas. “Muita gente cai n’água mesmo sabendo que está poluída. E, além disso, há turistas que nem percebem os avisos e se jogam no mar, muito felizes e entusiasmados. Mas a realidade é essa: está tudo sujo e poluído. Uma vergonha”, lamentou. l

Relação de praias e trechos impróprios

Fonte: Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais

Praia da Ponta D’ areia

Ao lado do Forte Santo Antonio

Atrás do Hotel Praia Mar

Atrás do Bar do Dodô

Em frente a Praça de Apoio ao Banhista

Em frente ao Edifício Herbene Regadas

Em frente ao Hotel Brisa Mar

Praia de São Marcos

Em frente aos Bares Do Chef e Marlene’s

Em frente a Barraca da Marcela

Em frente ao Agrupamento Batalhão do Mar

Em frente ao IPEM e ao Bar Kalamazoo

Foz do Rio Calhau

Praia do Calhau

À direita da elevatória II da CAEMA

Em frente a Pousada Tambaú

Em frente ao Bar Malibu

Praia do Olho d’Água

A direita da Elevatória Pimenta

À direita da Elevatória Iemanjá

Praia do Meio

Em frente ao Bar do Capiau

Em frente ao Bar da Praia

Praia do Araçagi

Em frente ao Fatima’s Bar

Em frente ao Bar Novo Point

Em frente ao Bar do Isaac

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte