Política | Lixão

Ministro do Meio Ambiente reclama de lixões no Maranhão

Ricardo Salles visitou, no fim de semana, Parque dos Lençóis Maranhenses e se disse alarmado com lixões situados em Santo Amaro e em Paço do Lumiar
Ronaldo Rocha da editoria de Política 23/04/2019

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles repudiou, em seu perfil em rede social no último fim de semana, a situação de municípios do Maranhão que apresentam lixões em pontos turísticos e em áreas urbanas, sem qualquer tratamento ou destinação adequada dos resíduos sólidos.
Salles visitou municípios que integram o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses e a Região Metropolitana de São Luís, onde cumpriu extensa agenda de trabalho.
Na região dos Lençóis ele visitou os municípios de Santo Amaro e de Barreirinhas. Em Santo Amaro, numa Área de Proteção Ambiental (APA) o ministro se deparou com um lixão próximo à entrada da cidade. Ele lamentou e classificou a situação de vergonhosa.
“Em plena APA dos Lençóis Maranhenses, um vergonhoso lixão a céu aberto. Problema recorrente em prefeituras de todo o Brasil e que motivou nossa prioridade na Agenda Ambiental Urbana, cuja fase 2 - Resíduos Sólidos, será lançada no próximo dia 30/04 em Curitiba”, disse.
Ao se deslocar à Ilha de São Luís, o ministro reclamou de outro lixão, situado em Paço do Lumiar. A situação deu espaço a uma nova publicação em seu perfil em rede social. Na ocasião, ele assegurou empenho do Governo Federal para solucionar o problema.
“Inacreditável! Um dia depois de ter presenciado o vergonhoso lixão em Santo Amaro, desembarco em Paço do Lumiar e me deparo com outro. ‘Programa Lixão Zero’ vai acabar com tudo isso aí: coleta seletiva, reciclagem, incineração etc. Faremos de tudo para acabar com essa tristeza”, pontuou.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte