Armamento

Armas alugadas são usadas por bandidos nos assaltos em São Luís

Criminosos envolvidos no latrocínio do passageiro de ônibus na segunda-feira, no Monte Castelo, usaram um revólver alugado; todos já estão presos

Ismael Araújo

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h25
Aldeman Nogueira Júnior, o Júnior Playboy acusado pela morte de passageiro
Aldeman Nogueira Júnior, o Júnior Playboy acusado pela morte de passageiro (Playboy)

SÃO LUÍS - O latrocínio que vitimou o passageiros de ônibus Alexandro Dias Rodrigues, de 38 anos, na noite da última segunda-feira, foi praticado com uma arma alugada. Segundo a polícia, as armas de fogo estão sendo comercializadas por “faccionados” para serem utilizadas em ações criminosas na Região Metropolitana de São Luís.

Ainda ontem foi preso Luís Cláudio Teixeira Júnior, na Vila Cafeteira, em Paço do Lumiar, acusado de ter alugado um revólver calibre 38 ao criminoso Aldeman Nogueira Neto, o Neto Playboy, de 23 anos, autor do disparo contra o passageiro.

Neto Playboy praticou o crime com apoio de José Benedito Maranaldo Júnior, de 19 anos, o primeiro a ser preso. Eles assaltaram um ônibus da empresa São Benedito, da linha Santa Clara, na noite de segunda-feira, 25, no Monte Castelo, que resultou na morte de Alexandro Dias Rodrigues, de 38 anos.

“Luís Cláudio foi preso sob acusação de ter fornecido a arma usada por Neto Playboy para praticar o crime”, disse o coronel Aritanã Lisboa, comandante de Policiamento de Área Metropolitana II (CPAM II). Segundo ele, policiais do Serviço de Inteligência da Polícia Militar e do 22º Batalhão estavam realizando diligências desde o dia do crime na Região Metropolitana de São Luís e na manhã desta quinta-feira, 28, prenderam Luís Cláudio, na Vila Cafeteira.

Em seguida, os militares também prenderam o autor do disparo que matou Alexandro Dias, identificado como Aldeman Nogueira Neto, o Neto Playboy. O coronel declarou que esse criminoso foi localizado na residência de sua namorada, Tays Brenda Araújo, de 19 anos, na Vila Sarney Filho I, em São José de Ribamar.

Ainda segundo o coronel, Luís Cláudio e Neto Playboy foram apresentados na sede da Superintendência de Homicídio e Proteção a Pessoas (SHPP), na Beira-Mar, onde prestaram esclarecimentos sobre o caso e, em seguida, encaminhados para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Já a arma utilizada no crime até ontem não tinha sido localizada pela polícia.

Mais prisão

Na tarde da última terça-feira foi preso José Maranaldo, em sua residência, no bairro Fé em Deus.. Ele foi localizado por meio de um Iphone de uma das vítimas que passou a ser monitorado pela polícia.

O detido foi apresentado na sede da SHPP e ao ser interrogado pelo delegado Felipe César confessou participação no latrocínio, dando apoio ao autor do disparo que marou Alexandro Dias Rodrigues.

Latrocínio

O delegado Felipe César, da SHPP, informou que o ônibus circulava no sentido Centro/Santa Clara, via Monte Castelo, quando na parada localizada nas proximidades do Canto da Fabril, seis pessoas adentraram o coletivo como passageiros. Entre elas, o autor do disparo, que pagou a passagem com dinheiro, mas logo depois, portando um revólver calibre 38, o bandido anunciou o assalto.

Ele saiu tomando celulares e dinheiro das pessoas que estavam no ônibus. Houve pânico e em determinado momento, Alexandro Dias tentou tomar a arma de fogo do assaltante e acabou levando um tiro na testa.

A vítima caiu morta na porta de desembarque de passageiros, na parta central do veículo, em que está localizado o elevador para cadeirantes. Enquanto, o criminoso conseguiu abrir a porta e fugiu em direção a Comabel, no Monte Castelo.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.