Polícia | Assassino em série

Polícia Civil aponta Marcos Rocha como novo serial killer no Maranhão

Criminoso foi preso dia 1º deste mês em Juçatuba, por estupro e assassinato de duas mulheres, mas a polícia investiga a sua participação em outros crimes
Ismael Araújo14/03/2019
Polícia Civil aponta Marcos Rocha como novo serial killer no MaranhãoMarcos Vinícius Rocha apontado pela polícia como novo serial killer (Divulgação)

SÃO LUÍS - A polícia afirmou ontem em coletiva na Casa da Mulher, no Jaracati, que Marcos Vinícius Rocha, de 32 anos, é um serial killer (assassino em série). Ele está preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas desde o dia 1º deste mês, acusado de ter violentando sexualmente e matado a golpes de faca duas mulheres, em Juçatuba, em São José de Ribamar. Há possibilidade de esse criminoso ter feito mais vítimas na Baixada Maranhense e em São Luís, principalmente na área da Cidade Olímpica e bairros adjacentes. Dez casos de feminicídio já ocorreram este ano no Maranhão, três deles na Grande Ilha.

A chefe do Departamento de Feminicídio da Superintendência de Homicídio e Proteção a Pessoas, Viviane Fontenelle, informou que Marcos Vinícius confessou para a polícia que cometeu dois feminicídios, mas negou o estupro. Umas das vítimas foi encontrada morta despida em uma área de matagal, em Juçatuba, com sinais de violência sexual, no dia 8 de dezembro do ano passado.

O corpo da vítima foi removido para o Instituto Médico Legal (IML), no Bacanga, e, após alguns dias, sepultado sem identificação. O suspeito declarou para a polícia que foi com a vítima de bicicleta até Juçatuba onde passaram a noite e teria realizado o crime devido ter sofrido uma tentativa de homicídio.

A outra vítima foi identificada como Aridelma de Fátima Oliveira Bezerra, de 38 anos. O corpo dela foi encontrado despido, também com marcas de violência sexual, no dia 5 de fevereiro deste ano, de acordo com a delegada, a 18 quilômetros do local onde foi assassinada a primeira vítima de Marcos Rocha.

O criminoso disse para a polícia que foi ao local do crime com Aridelma de Fátima em uma motocicleta e lhe desferiu um golpe denominado de mata-leão, ou seja, estrangulado a vítima. “A direção do Icrim informou que essas duas mulheres poderiam ter sido mortas por um mesmo criminoso em virtude do mesmo modus operandi”, disse a delegada.

“A direção do Icrim informou que essas duas mulheres poderiam ter sido mortas por um mesmo criminoso em virtude do mesmo modus operandi”.Delegada Viviane Fontenelle-chefe do Departamento de Feminicídio

Desaparecimento

A delegada informou que ainda em fevereiro deste ano uma moradora da área da Cidade Olímpica procurou a polícia informando o desaparecimento de uma mulher, nome não revelado, que teria sido vista em dezembro do ano passado em companhia de Marcos Rocha.

Viviane Fontenelle declarou que há possibilidade do corpo encontrado em dezembro do ano passado, em Juçatuba, ser dessa mulher. Ainda esta semana, um dos materiais genéticos de um dos familiares dessa mulher vai ser periciado no Instituto de Criminalística e o resultado deve sair até a próxima semana.

Mais ocorrências

A delegada afirmou, ainda, que Marcos Rocha é acusado de ter assassinado duas mulheres nas mesmas condições e em situação análogas. “As duas vítimas não tinham nenhuma relação afetiva com o acusado. Ele apenas fez sexo e, em seguida cometeu o assassinato. Isso mostra que ele tem ódio pela condição feminina”, disse Viviane Fontenelle.

Ele também responde a dois casos de roubo e um de estupro tentado, em Viana, cometidos em 2004. A delegada declarou que no decorrer da investigação podem aparecer mais vítimas desse criminoso, inclusive do interior do estado.

Fique sabendo

Serial killer

É um assassino em série de perfil psicopatológico que comete crimes com uma certa frequência, na maioria das vezes, seguindo um mesmo modus operandi e às vezes deixando sua assinatura. Também foi preso como sendo serial killer o mecânico Francisco das Chagas Brito, que confessou ter matado e mutilado 42 garotos entre 1989 e 2003, no Maranhão e no Pará. Ele já foi condenado a mais de 400 anos de prisão, mas segue em julgamento por outras mortes. O outro considerado como serial foi José Vicente Mathias, o Corumba, que declarou ter assassinado pelo menos duas mulheres entre os anos de 1999 e 2005, sendo duas no estado maranhense. Ele agia em cidades turísticas e se passava por artesão.

Atualização:

A comunidade de Juçatuba entrou em contato com o Jornal O ESTADO, informando que esses crimes ocorreram em uma estrada que dá acesso à comunidade Bom Jardim ao bairro da Cidade Olímpica e não tem ligação com a localidade de Juçatuba.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte