Política | Confusão

Confusão causada por deputado provoca constrangimento ao Governo

Deputado Fábio Macedo foi conduzido à delegacia pela polícia do Piauí após ter agredido músicos e ameaçado policiais militares de morte
11/03/2019
Confusão causada por deputado provoca constrangimento ao GovernoPiauí, Maranhão, Fábio Macedo (PDT), Teresina, deputado Fábio Macedo, Léo Cachorrão

A confusão provocada pelo deputado estadual Fábio Macedo (PDT), membro da base governista na Assembleia Legislativa, em Teresina, no Piauí, provocou forte constrangimento ao Palácio dos Leões.

Macedo foi conduzido pela Polícia Militar no Piauí após ter se envolvido numa discussão e ter agredido músicos que acompanham o cantor Léo Cachorrão. Ele teria atirado um copo de vidro em direção a um dos músicos, que sofreu ferimentos leves.

Na ocasião da condução à delegacia, ele ameaçou policiais de morte. Houve gravação de vídeo e áudio e repercussão imediatada em portais de notícias em redes sociais.

O delegado que estava de plantão lavrou um Termo Circunstanciado de Ocorrência e em seguida liberou o parlamentar maranhense.

“Vocês são polícia, né? A gente mata gente”, disse o parlamentar, perguntando aos PMs se eles conheciam Dedé Macedo, seu pai em um dos áudios gravados.

“Eu sou, eu sou mais que tu. Eu sou deputado, e sou rico. Vou mandar te matar, vagabundo. Vou te pegar, eu te mato. Sou filho do Dedé Macedo. Pergunta quem é Dedé Macedo. Eu vou te matar. Vou mandar de matar”, vociferou Macedo em outro trecho.

Depressão – Logo após a repercussão negativa do caso, a assessoria de comunicação do parlamentar divulgou uma nota para esclarecer o caso.

Na nota, a assessoria admitiu o consumo de bebidas alcoólicas e apontou tratamento de saúde pelo qual é submetido p parlamentar, por causa de depressão e alcoolismo.

“O deputado estadual, Fábio Macedo vem a público esclarecer que após o consumo de bebidas alcoólicas associadas à medicações para tratamento de saúde se envolveu em uma confusão em um bar na cidade de Teresina. O parlamentar há anos enfrenta problemas de depressão e alcoolismo, no momento da confusão estava sem o controle de suas faculdades mentais e estado de embriaguez. Aos maranhenses que o elegeram e lhe confiaram o mandato como representante, manifesta as mais sinceras desculpas e se compromete em assumir todas as responsabilidades legais e morais, e se desculpa também com a Corporação da Polícia de Teresina, a quem muito respeita e admira o trabalho”, diz a nota.

Macedo também divulgou uma carta aos maranhenses em que atribui à depressão o descontrole emocional que provocou toda a confusão em Teresina. Ele pediu as “mais sinceras desculpas”.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.