Cidades | Vistoria

Após desabamento de teto, perícia é iniciada no Ginásio Castelinho

Teto do ginásio esportivo mais importante de São Luís desabou durante as chuvas da quarta -feira (6)
Emmanuel Menezes / O Estado08/03/2019
Após desabamento de teto, perícia é iniciada no Ginásio CastelinhoTeto do Castelinho desabou na quarta-feira (6) (De Jesus / O ESTADO)

Equipes do Instituto de Criminalística e Medicina Legal (Icrim) e do Corpo de Bombeiros do Maranhão iniciaram o trabalho de perícia no Ginásio Georgiana Pflueger, popularmente conhecido como Ginásio Castelinho na tarde de ontem (7). Durante forte chuva no início da tarde da quarta-feira (6), o teto do ginásio desabou. Felizmente, nenhuma das pessoas que trabalhavam no local se feriu.

O perito Cássio Jorge informou que o primeiro teste realizado envolveria os canos que fazem a que­da d’água do telhado para os bueiros. “Essa é uma hipótese mínima, mas será o primeiro teste feito hoje. Após este, realizaremos uma espécie de estudo dos destroços do telhado”, explica.

O caso gera controversa, visto que boa parte das estruturas de ferro e alumínio do teto que estão no chão apresentam bom estado de conservação. Essa etapa de vistoria do telhado demanda mais tempo, por ser detalhista. “O objetivo vai ser procurar o possível ponto fraco do telhado que pode ter corroborado para esse colapso”, completa o perito. O prazo para finalização do relatório de perícia é incerto.

A área ao redor de todo o ginásio foi isolada. Equipes da Polícia Militar fazem guarda 24 horas no local, visto que algumas pessoas já tentaram invadir o espaço com objetivo de saquear. “Não podemos deixar que ninguém, além dos agen­tes autorizados, entre no local. Não temos o resultado do verdadeiro estado da estrutura e isso demonstra um perigo eminente”, disse o secretário de Estado de Esporte e Lazer, Rogério Cafeteira, em entrevista para O Estado.

Reforma
O tempo necessário para que o ginásio volte ao pleno funcionamento é indeterminado. “Devemos passar cerca de duas semanas recebendo o Corpo de Bombeiros para as perícias e realizando a limpeza do local, com a retirada do resto da estrutura do telhado. Vamos elaborar também o projeto da reconstrução, mas isso deve ainda passar por uma licitação, o que deve demandar um tempo. Afirmamos que outras praças da Ilha serão disponibilizadas para atender a demanda esportiva que o Castelinho recebia”, atestou o secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto.

Controversa
Em 10 de dezembro de 2018, o Governo do Estado anunciou que o Complexo Canhoteiro, que abriga o estádio de futebol Castelão, o ginásio de esportes Georgiana Pflueger (Castelinho), pista de atletismo, parque aquático, ginásio de artes marciais, pista de skate e pista de kart, com área total de 420.000 metros quadrados, estava sendo revitalizado desde o mês de novembro. O trabalho estaria sendo realizado por meio da Sedel.

A publicação diz que, entre as principais modificações, estão a construção de arquibancada nas quadras em torno do Castelão, de duas quadras poliesportivas e de escadas de acesso às quadras seriam feitas. Também seriam realizadas adequa­ções e revitalizações nas áreas já construídas no complexo. O secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, ratificou que não havia projetos de reestruturação em que se in­clua o Castelinho.

Sobre o ginásio

O Ginásio Georgiana Pflueger, mais conhecido como Ginásio Castelinho, é um ginásio poliesportivo com capacidade para 6.500 pessoas. É equipado com vestiário, banheiros, academia, alojamento, sala vip, área de administração, lanchonete, sala e vestiários para arbitragem. O nome Georgiana Pflueger foi uma homenagem a uma maranhense jogadora de vôlei que faleceu aos 19 anos, em consequência de um acidente de carro com a atriz Surama Castro.

O local recebe importantes eventos, como os Jogos Escolares Maranhenses (JEM’s), um dos maiores torneios poliesportivos que reúne estudantes de escolas públicas de todo o Maranhão. Para além disso, concertos, peças e eventos religiosos são frequentes realizados no espaço.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.