Política | Laranja?

PT faz doação de R$ 200 mil para candidata do PROS no Maranhão

Direção nacional petista repassou à campanha de Isabel Bulhões mais dinheiro do que o repassado para o deputado estadual reeleito, Zé Inácio
Carla Lima/Editora de Política/ Linhares Júnior/ Do Imirante02/03/2019
PT faz doação de R$ 200 mil para candidata  do PROS no MaranhãoGastão Vieira, presidente estadual do PROS, diz que não sabe o motivo pelo qual o PT doou para campanha de candidata de seu partido (Divulgação)

Com cerca de 50 seguidores em suas redes sociais e pouco mais de mil votos obtidos nas eleições de outubro do ano passado, a candidata Isabel Cristina Lopes Bulhões (PROS) captou mais de R$ 370 mil para sua campanha de deputada federal. O que chama mais atenção no valor recebido pela candidata foi que do total da verba, o Partido dos Trabalhadores (PT) doou 54%, cerca de R$ 200 mil em uma negociação feita entre as direções nacionais das duas legendas., para uma candidata que não é do partido e nem estava coligado com o PT para a eleição proporcional.
Os depósitos na conta de Isabel Bulhões foram feitos pelas direções nacionais do Partido dos Trabalhadores (PT) e do Partido Republicano da Ordem Nacional (PROS). No dia 28 de agosto, o PROS realizou um depósito de R$ 173.850,00.
O partido estadual é comandado pelo segundo suplente de deputado federal Gastão Vieira – que tem previsão de assumir o mandato após o carnaval devido ao uma negociação do governador Flávio Dino (PCdoB) que tirou Rubens Júnior (PCdoB) da Câmara e deixou Simplício Araújo (SD) no primeiro escalão do governo.
Quinze dias depois, o PT realizou um depósito maior do que o de o do próprio partido da candidata. Foram doados R$ 200 mil. Essas foram as duas únicas fontes de receita na campanha da candidata.
As despesas de campanha de Isabel Bulhões também despertam suspeitas. Dois dias após o depósito do PROS começaram a ser sacados cheques na boca do caixa e compensados em outras contas. No total foram emitidos 147 cheques. Doze foram compensados e outros 135 foram sacados.
Nenhuma das despesas com cheques foi justificada na Justiça Eleitoral, os únicos dados justificados apontam para gastos da ordem de R$ 55 mil, todos no dia 25 de agosto.
Foram feitas despesas com treinamento e capacitação de coordenadores com a empresa Carpe Treinamentos Ltda (R$ 40 mil) e pagamentos para pessoas físicas (R$ 15 mil) para atividades de militância e mobilização de rua.

Candidatos petistas
A doação do PT ao PROS no Maranhão chama atenção devido ao baixo valor que o Partido dos Trabalhadores repassou aos seus candidatos tanto a deputado estadual quanto a deputado federal.
O deputado estadual reeleito pelo PT, Zé Inácio, por exemplo, recebeu a direção nacional de seu partido R$ 48 mil do fundo de campanha. O deputado obteve 31.603 votos.
Um outro exemplo de repasse do PT nacional para os candidatos da legenda no Maranhão é do primeiro suplente de deputado federal da sigla. Dr. Zé Francisco. Ele recebeu da direção nacional do PT R$ 15 mil e obteve nas eleições pouco mais de 14 mil votos.

A beneficiária
O Estado entrou em contato com Isabel Bulhões. Segundo ela, os pouco mais de 1,2 mil votos que conseguiu para deputada federal foi fruto de seu trabalhos e esforços na campanha.
De acordo com Bulhões, a doação foi acertada entre as direções nacionais do PT e do PROS. “Lutei muito pela minha eleição. Era um sonho meu. Fui a mais de 10 municípios, obtive 1.200 votos conquistados pelo meu esforço e luta. Quanto à doação do PT nacional para minha campanha, posso adiantar que a mesma doação foi feita para todas as candidatas mulheres a deputada federal do PROS no Brasil”, afirmou a candidata.
Mesmo sabendo que todas as candidatas a deputada federal pelo PROS receberam doações do PT, a garantiu que não sabe o motivo pelo qual foi beneficiada com uma verba que nem os candidatos petistas conseguiram.
“Foi entre as nacionais [negociação para definir a doação de campanha] dos partidos que fica em Brasília, somente eles para darem maiores informações”, disse.
Isabel Bulhões, no entanto, não explicou como foi gasto todo o dinheiro retirado, na maioria, por meio de cheques sacados na “boca do caixa” em agência bancária.
Já o presidente estadual da legenda, Gastão Vieira, garante que nada sabe a respeito da doação a candidata. Segundo ele, somente a direção nacional do PT para explicar os motivos pelos quais decidiu fazer este tipo de doação.
“Eu não sei de nada. A doação foi feita diretamente com ela [Isabel Bulhões]”, afirmou Vieira.
Ainda segundo o futuro deputado federal, a negociação PROS e PT ou merece investigação ou ele considera como uma invenção de adversários para colocar o PT na mesma situação do PSL. Vieira faz menção ao possível uso de candidatura laranja do PSL, em Pernambuco.

Patrocinadas

A informação de que a direção nacional do PT também doou dinheiro para campanha de todas as candidatas a deputada federal do PROS não foi confirmada. Por meio do sistema do TRE foi possível constatar que somente Bulhões e a candidata Josi Nunes, do PROS do Tocantins, receberam doações petistas. Esta candidata recebeu R$ 400 mil da direção nacional do PT e ao todo gastou mais de R$ 1 milhão e recebeu cerca de 30 mil votos.

PT do Maranhão garante que não sabia de doação

O presidente estadual do PT, Augusto Lobato, garante que desconhecia a doação da direção nacional de seu partido para o PROS. Ele esclareceu que os repasses do fundo foram todos feitos diretamente da direção nacional da sigla para os candidatos. Não teve intermediação da direção estadual.
Para o PT estadual, ainda de acordo com Lobato, veio, no primeiro turno, R$ 120 mil para a campanha do então candidato a presidente Fernando Haddad. Já no segundo turno, veio mais R$ 18 mil e do total, a direção estadual ainda devolveu cerca de R$ 7 mil.
“Não tenho conhecimento das doações feitas pela direção nacional. Nem eu e nem o secretário financeiro do partido porque não passou por nós. O PT estadual recebeu a doação para a campanha do Fernando Haddad e não foi muito dinheiro. E o que sobrou, devolvemos após a campanha”, afirmou Lobato.
O presidente estadual do PT fez questão de ressaltar ainda que os candidatos do PT não receberam doações ou estrutura de qualquer outro partido aliados.
Sobre a doação do PT ao PROS, O Estado entrou em contato com a direção nacional petista, mas até o fechamento desta edição, não obteve resposta.

MPE investiga candidatura laranja do PRB no Maranhão

Casos suspeitos de candidatura laranja não se resume ao PROS no Maranhão. Antes de Isabel Bulhões, outra candidata maranhense apareceu na lista de beneficiárias com somas grandes de doação de campanha. Marisa Rosas, que disputou uma vaga a Assembleia Legislativa em 2018, recebeu de seu partido quase R$ 600 mil para a campanha.
Chama atenção a quantidade de votos adquiridos (ela teve 161 votos) e também como gastou toda a quantia. Segundo a prestação de contas de Marisa Rosas, ela mandou confeccionar em uma gráfica, em Tuntum, que pertence a um filiado do PRB, 9 milhões de santinhos.
A revelação foi feita pelo Jornal Nacional a quem Marisa Rosa falou na ocasião. “Se você está mensurando a quantidade do Maranhão, pode-se dizer. Mas na hora a gente não trabalha somando, é a mesma coisa do santinho”, disse Marisa.
Na Gráfica Bandeirantes, na cidade de Tuntum, a 305 km de São Luís, a candidata gastou R$ 460 mil. A gráfica pertence a um filiado do PRB e recebeu outros R$ 580 mil para confeccionar material de campanha para o deputado federal Cléber Verde, presidente do diretório estadual do PRB.

Investigação
O Ministério Público Eleitoral (MPE) informou que quer ouvir as explicações de Marisa e também convocar o contador da campanha dela, além das empresas beneficiadas pelo dinheiro do fundo partidário.
“Essa quantidade de indícios indicam a possibilidade dela ser utilizada como candidata laranja. Daí a necessidade da instauração de um procedimento extrajudicial pelo Ministério Público Eleitoral e também a determinação de inquérito policial para a Polícia Federal apurar eventual prática de crimes”, declarou o procurador eleitoral do Maranhão, Juraci Guimarães.
O PRB e o deputado federal Cléber Verde informaram que estão à disposição da Justiça para prestar qualquer esclarecimento sobre o caso.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte