Estado Maior | COLUNA

Previsões desanimadoras

28/02/2019

As previsões não são nada animadoras para quem é aposentado ou pensionista no Maranhão. Os cofres do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (Fepa) estão quase vazios - o que não é bem uma novidade - e têm data certa para ficar completamente sem dinheiro: outubro deste ano.
Diante desse futuro próximo, o governo Flávio Dino terá de retirar dinheiro de tributos (logo, verba para investimentos em serviços públicos para toda a população) para pagar a folha de inativos ou poderá atrasar os salários dos pensionistas e aposentados do Estado.
As duas situações são graves e devem apontar para uma Reforma da Previdência o mais breve possível no Maranhão. Se assim não fizer, o governador poderá lançar mão, mais uma vez, do aumento de impostos para pagar esta conta.
Diante do problema posto, resta saber os motivos pelos quais o governo estadual não trabalhou para evitar o rombo atual. Além disso, a gestão comunista precisa explicar onde foi parar o dinheiro do Fepa, já que, quando Dino assumiu, havia mais de R$ 1 bilhão em caixa.
E, claro, o governo precisa agir de forma transparente com a população quanto à existência do problema e as soluções que estão sendo estudadas para resolver a situação.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte