Estado Maior | COLUNA

Poderia ser diferente

23/02/2019

Alvo de uma ação do Ministério Público do Maranhão e da Defensoria Pública do Estado, o Hospital da Criança, em São Luís, voltou ao centro do debate político nesta semana. MPMA e DPE entraram na Justiça requerendo o cancelamento do Carnaval na capital, para que recursos públicos que serão empregados nas festas fossem direcionados à solução de irregularidades constatadas na unidade de saúde.
Para garantir a realização da folia, a Prefeitura de São Luís firmou acordo para, em 45 dias úteis, levantar as demandas estruturais mais urgentes do hospital, especialmente as referentes a equipamentos e aparelhos; e a demandas judiciais na área da saúde infantil. O Município de São Luís comprometeu-se, também, em evitar a falta de insumos e medicamentos no hospital, bem como confeccionar plano operativo no prazo de dois meses.
No debate sobre o caso, entrou até a Câmara Municipal, que se comprometeu a sensibilizar os vereadores a destinar recursos de emendas parlamentares para o atendimento das demandas relacionadas a equipamentos e aparelhos.
Lembra-se que, ano passado, tramitou na Assembleia uma emenda parlamentar que incluía no Orçamento de 2019
R$ 5 milhões, que deveriam ser retirados da Comunicação e encaminhados para aplicação justamente no Hospital da Criança. Os comunistas rejeitaram a proposta.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte