Polícia | Violência

Crimes de encomenda marcam primeira quinzena deste mês no Maranhão

A polícia registrou pelo menos três casos dessa natureza; um deles ocorreu na capital. As outras ocorrências foram em Imperatriz e Viana
18/02/2019
Crimes de encomenda marcam  primeira quinzena deste mês no MaranhãoEm dois casos, a polícia ainda não identificou os autores dos assassinatos. (Divulgação)

MARANHÃO - A primeira quinzena deste mês foi marcada por crimes de encomenda no estado e, segundo a polícia, pelo menos três casos foram registrados. A polícia ainda ontem não tinha efetuado a prisão dos dois executores de Leandro da Silva Fernandes, de 34 anos. Esse crime ocorreu em plena via pública, no bairro Forquilha, no último dia 1º.

O caso está sendo investigado pela equipe da Superintendência Estadual de Homicídio e Proteção a Pessoas (SHPP). A polícia prendeu, ainda no dia do assassinato, Rogério Reis, de 27 anos. O delegado da Polícia Civil Leandro Carvalho informou que o detido confessou ser o mandante da execução e alegou que encomendou a morte por ter descoberto que a sua esposa, de nome não revelado, mantinha um relacionamento amoroso com a vítima há seis meses.

Rogério Reis ainda declarou à polícia que tinha contratado os assassinos por meio de um site com domínio fora do Brasil. Revelou, ainda, que o contato com os executores foi feito via internet e celular. Ele não revelou o valor que pagou aos assassinos e a forma de pagamento.

O crime foi registrado pelo sistema de câmeras de videomonitoramento de imóveis instaladas na Forquilha. As imagens mostram um veículo branco estacionado nas proximidades do local da execução e dois homens encapuzados saindo do carro. Também é possível ouvir o barulho dos tiros. Em seguida, os acusados voltam ao veículo e tomam rumo ignorado. A polícia ainda conseguiu localizar, horas depois, o carro abandonado, no conjunto Maiobão, em Paço do Lumiar.

Vaqueiro

A Polícia Civil também está investigando a morte do vaqueiro Augusto Belfort, o Gudinho, de 63 anos. Até o momento, o mandante e os executores do não foram identificados. Segundo a polícia, a motivação do crime pode estar relacionada ao roubo de gado na região da Baixada Maranhense.

A vítima residia em Viana e no último dia 4 saiu para tomar conta de animais no campo, localizado na zona rural dessa cidade, mas não retornou. O vaqueiro foi encontrado morto por populares com marcas de tiros em uma área de matagal, localizada às margens da MA 314. O corpo da vítima foi removido para o Instituto Médico Legal (IML), na capital, para ser autopsiado, e o resultado da perícia será encaminhado para a Delegacia de Viana.

Tentativa de homicídio

O outro crime de encomenda foi registrado em Imperatriz. Na quarta-feira, 13, Natal Gomes Pires, idade não revelada, apresentou-se na Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoas (DHPP) do município acompanhado de advogado e após ser ouvido pela polícia foi liberado.

Ele declarou à polícia ter sido o autor dos golpes de faca desferidos no vigilante Júnior Cardoso Severino, no último dia 11, no residencial Verona, na Pedro Neiva de Santana. A motivação do crime foi a disputa por pontos de vigilância nessa localidade. O suspeito de ser o mandante é Erismar Ferreira Lima.

O delegado regional de Imperatriz, Eduardo Galvão, declarou que Natal Gomes foi solto, mas vai responder por tentativa de homicídio. O mandante foi preso em flagrante, ouvido pela polícia e liberado durante audiência de custódia.

A vítima foi golpeada em seu local de trabalho e levada para o Hospital Municipal de Imperatriz (HMI) por socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), onde passou por tratamento cirúrgico. Júnior Cardoso Severino permanecia, até ontem, internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do hospital.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte