Cidades | Raiva animal

Vacinação antirrábica começa a ser realizada em domicílio

Campanha visa manter a cidade livre da raiva por meio da imunização de animais; vacinação prossegue até o mês de abril, sempre às sextas-feiras e sábados
10/02/2019 às 00h00
Vacinação antirrábica começa a ser realizada em domicílioVacinadores da Prefeitura imunizam cão no primeiro dia da Campanha de Vacinação Antirrábica (Divulgação)

Mais de 160 mil animais devem ser imunizados durante a Campanha de Vacinação Antirrábica, iniciada na sexta-feira (8), na capital. A ação leva agentes de saúde da Prefeitura de São Luís de casa em casa para vacinar cães e gatos e, assim, manter a cidade livre da raiva e garantir a saúde do animal e da população. Coordenada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus), a campanha integra a política pública de saúde da atual gestão municipal. A vacinação prossegue até o mês de abril, sempre às sextas-feiras e sábados.

O secretário de Saúde, Lula Fylho, destaca o apoio da população à campanha da Prefeitura como um dos importantes contribuintes para alcance das metas. "O Município tem promovido um rigoroso controle epidemiológico e mostrado preocupação em garantir a cobertura vacinal dos animais. Neste sentido, é importante a adesão da população ao trabalho da Prefeitura. Peço que as pessoas recebam os vacinadores e somem para que sejam atingidas as metas e mantenhamos os animais imunizados mantendo a cidade livre de doenças como a raiva que pode ser transmitida aos humanos", pontuou.

Equipes de mais de 200 técnicos estão distribuídos nos bairros, trabalhando por quadra de moradias para vacinar os animais. A atividade se iniciou na área central da capital, alcançando os bairros Centro, Liberdade, Apeadouro, Camboa, entre outros. Conforme estipulado pela Unidade de Vigilância Epidemiológica (UVZ), órgão da Semus, devem ser vacinados cães e gatos com idades a partir de três meses, sendo exceção para animais que estejam doentes e fêmeas no último mês de gestação.

O lavador de carros Neuton da Costa, 36 anos, enfatizou o diferencial da campanha para que a saúde dos animais seja preservada. "É muito bacana, por que a gente tem o serviço bem na porta de casa e não tem desculpa para não vacinar os bichos. Eu sempre vacino minha cachorrinha quando tem campanha para ela não ficar doente", disse ele, que estava com cadela Rajada, de quatro anos.

Billy, um poodle de três anos, foi vacinado em casa e a dona, a estudante Thaíssa Nunes, 28 anos, estava satisfeita com a campanha. "É uma comodidade muito grande para a gente. E nestes dias de chuva, que fica mais difícil sair, ter a equipe bem na porta de casa é tudo de bom. Achei a campanha extremamente interessante e espero que as pessoas colaborem com os vacinadores", destacou a estudante.

São Luís não registra casos de raiva desde 2013, quando vem sendo promovidas medidas de controle epidemiológico. As campanhas são anuais e disponibilizam ainda as vacinas em unidades de saúde. A raiva é uma infecção viral aguda, transmitida para seres humanos a partir da mordida, lambida ou ferida causada por animais infectados. Entre os sintomas da doença no animal estão mudança de comportamento, dificuldade para engolir e excesso de salivação.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte