Polícia | Falsificação

Derrame de dinheiro falso é investigado por policiais do Maranhão e Piauí

Cédulas fabricadas em laboratório descoberto em Parnaíba (PI) estariam circulando em cidades do interior dos dois estados; produto estava sendo vendido até pela internet
Ismael Araújo09/02/2019
Laboratório de fabricação de dinheiro falso descoberto em Parnaiba

SÃO LUÍS - Derrame de dinheiro falso nos estados do Maranhão e do Piauí está sendo investigado pela polícia. Na última quarta-feira, 6, policiais militares piauiense desarticularam uma fábrica de falsificação de dinheiro na cidade de Parnaíba, no Piauí, e conseguiram prender Rafael Francisco Pereira, de 32 anos, natural de Brasília. As incursões continuavam nesta sexta-feira, 8, visando prender o restante do bando. Há informações de que essas notas falsas eram distribuídas em Parnaíba e em municípios maranhenses.

Segundo a polícia, até mesmo anúncio de negociação do produto falsificado estava sendo feito na rede social, tendo como “cabeça” um homem identificado apenas como Fernando. Um dos anúncios diz que as prévias de Carnaval estão chegando, as pessoas não podem ficar lisas e estão disponíveis as melhores “fakes”, como denomina as notas falsas. O anúncio afirma que o dinheiro falsificado passa pelos testes da caneta, neon, luz negra, marca d’água, fita holográfica e o papel da cédula é áspero boliviano. A entrega desse produto ilegal é feito por meio de um mototaxista e o frete será pago pelo cliente.

Anúncio de venda de dinheiro falso

Em um outro anúncio o título é “Fernando notas é cartões”. Neste material são expostos os valores das notas falsas. Pagando um valor de R$ 250,00, você recebe a quantia de R$ 2.500,00 em notas falsas. Enquanto R$ 10.500,00 em notas falsas custam o valor de R$ 1 mil. O anúncio ainda reforça que as notas falsas são fabricadas no papel-moeda.

Contato

Um morador da capital maranhense, nome não revelado, entrou em contato com O Estado e declarou que teve contato, por meio do aplicativo de mensagem, com o “cabeça” desse anúncio de venda de notas falsas e no decorrer da conversa, o criminoso exigiu que o maranhense falasse de que forma ficou sabendo do esquema ilegal e em qual grupo da rede social está sendo exposto esse anúncio. Como ele se recusou a informar, o negócio não prosperou.

Conversa sobre a venda de notas falsas

Laboratório

O tenente-coronel Antônio Pacífico, comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar do Piauí, declarou que estava circulando notas falsas em Parnaíba, principalmente, no comércio. Na última quarta-feira, os militares abordaram Rafael Pereira, que estava portando dinheiro falso. “Vários comerciantes procuraram a polícia relatando o recebimento de notas falsas e isso foi repassado para a Polícia Federal. A nossa equipe prendeu o suspeito, que confessou o crime”, disse Antônio Pacífico.

Ainda de acordo com o coronel, os militares realizaram uma revista na residência do criminoso, no bairro Piauí, em Parnaíba, onde encontraram um laboratório de notas falsas.

No local, os militares apreenderam, além das cédulas falsas, quatro impressoras, diversos tipos de tintas, telas de serigráficas, produtos químicos e papéis especiais, que segundo a polícia, usados para melhorar o resultado final. Essa fábrica tinha capacidade para produzir uma quantidade significativa de cédulas falsificadas de todos os valores existentes.

O delegado Arthur Brígido, da Polícia Federal do Piauí, disse que a qualidade do dinheiro acabou chamando a atenção da polícia, considerada acima da média do tipo de apreensão que normalmente é realizado nessa região do país.

Ele informou, ainda, que as investigações sobre esse caso vão continuar devido haver outras pessoas envolvidas, principalmente na distribuição desse produto falsificado nos estados do Piauí e do Maranhão. Rafael Pereira foi autuado pelo crime de falsificação de moedas.

Prisões

Em São Luís, no dia 17 de dezembro do ano passado, a Polícia Militar prendeu em flagrante Werbeth Santos Ribeiro, de 34 anos; Francy Pedro Santos Ribeiro, de 35 anos, e Marcos Paulo da Silva, 41, no Bairro de Fátima, com cédulas falsas. Em estavam em um veículo onde foram apreendidas 25 notas falsas no valor de R$ 20,00, uma impressora, R$ 535,00 em cédulas originais, três porções avulsas de maconha e um papelote de cocaína.

Os detidos foram encaminhados para a Superintendência de Polícia Federal, na Cohama, por se tratar de crime federal. Ainda segundo a polícia, os três conduzidos já tinham passagem pela polícia. Werbeth Santos por assalto, Francy Pedro pelo crime de tráfico de droga e Marcos Paulo por estelionato.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.