Estado Maior | COLUNA

Mais uma vez, caos na saúde

25/01/2019

As cenas fortes de um paciente sendo levando pelas ruas do centro de São Luís em uma maca por parentes em desespero por falta de atendimento médico mostram o caos da Saúde pública no Maranhão, cujos reflexos causam dramas como o da família de Urbano Santos.
E não é possível reduzir o problema à falta de uma assistência em um hospital de São Luís. O problema é muito mais grave e a capital maranhense vem recebendo a conta, que vem sendo paga, às vezes, com vidas de quem precisa de assistência médica.
Com dois hospitais de urgência e emergência, São Luís - há quatro anos - voltou a ser o “porto seguro” de pacientes do interior do estado, que não
tem mais hospitais de 20 leitos funcionando para atender
às demandas.
Com a política de distribuição de ambulâncias pelo governo de Flávio dino (PCdoB) - foram mais de 60 somente nos primeiros quatro anos -, fechamento de unidades hospitalares no interior por falta de ajuda da gestão estadual, sucateamento de UPAs e, claro, a falta de investimentos adequados dos prefeitos do interior, a situação em São Luís vem se agravando.
Com corredores lotados, o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, informou à Justiça - que acionou o Município devido à superlotação do Socorrão I e II - que a maioria dos pacientes internada nas unidades de urgência e emergência não são de São Luís.
E o governo do estado? Por enquanto, calado diante do caos na saúde da capital. A Prefeitura comandada por Edivaldo Júnior (PDT) não pode reclamar em voz alta de toda a situação causada pelo descaso do governo Dino por ser aliado do comunista. E, no meio disto tudo, vidas sendo perdidas.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte