Estado Maior | COLUNA

Não sabe o que diz

18/01/2019

Cada vez que o governador Flávio Dino (PCdoB) se manifesta publicamente sobre a crise econômico-financeira que se abateu sobre o Maranhão, há uma nova versão, expectativa ou conceito.
A impressão que dá é de que o comunista não sabe e não possui propriedade, sobre aquilo que fala.
E o exemplo mais recente ocorreu na última quarta-feira, em entrevista ao vivo à Globo News. Na ocasião, ele afirmou acreditar que 2019 já representa um ano de recuperação da economia nacional. E disse que essa recuperação já está ocorrendo.
“Então, isso é um fenômeno nacional [aumento da pobreza] e eu acredito que com a retomada da economia, o que já está ocorrendo há algum tempo, creio que irá continuar. Independentemente dos fatos próprios da política, acho que nós já temos uma trajetória de retomada da economia, crescimento do PIB e por conseguinte o aumento da arrecadação. Com isso, os governos que desejarem combater a desigualdade, o que é o nosso caso, terão condições melhores”, explicou.
Ocorre que a declaração é completamente diferente de outra, dada por ele mesmo, em dezembro do ano passado. Naquela ocasião, Dino chegou a apelar para uma ajuda divina, para manter as contas estaduais em dia em 2019.
“Infelizmente as finanças públicas em quase todo o Brasil estão destruídas, por força da prolongada e profunda recessão. Peço a Deus que nos ajude para que em 2019 consigamos manter as nossas contas em condições razoáveis. Tem sido difícil, mas temos lutado muito”, disse e completou:
“Estamos empenhados em cortar despesas, racionalizar procedimentos e em ajustar receitas, para que consigamos atravessar o ano de 2019, que se afigura difícil e conflituoso. Mas sempre temos muita fé. Deus proverá”.
Pelo jeito, Flávio Dino está completamente perdido no comando da máquina pública...

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte