Polícia | Caso Ivanildo

Inquérito do caso Ivanildo Paiva entregue ontem ao Judiciário

A morte do prefeito de Davinópolis estava sob responsabilidade de uma uma Força Tarefa criada para investigar o caso; seis pessoas estão presas, inclusive o vice-prefeito
Ismael Araújo18/01/2019

IMPERATRIZ - A polícia entregou ontem no cartório de distribuição no Fórum Henrique de La Roque Almeida, em Imperatriz, o inquérito que investigou o assassinato do prefeito de Davinópolis, Ivanildo Paiva, ocorrido no dia 10 de novembro do ano passado, na zona rural dessa cidade. Segundo a polícia, cerca de R$ 200 mil teria sido o valor cobrado pelos executores desse crime. A motivação seria de cunho político e econômico. Até o momento, seis pessoas estão presas suspeitas de envolvimento no episódio.

A cúpula da Secretaria de Segurança Pública (SSP) montou uma equipe de Força Tarefa, coordenada pelos delegados Praxíteles Martins, Gustavo Tavares e Jeffrey Furtado, para apurar esse caso. Praxíteles Martins informou que o inquérito foi encaminhado ao Poder Judiciário e ainda este mês será distribuído a uma das varas criminais da Comarca de Imperatriz.

O delegado declarou que esse caso será apreciado em seguida pelo Ministério Público, com uma audiência de instrução em que as testemunhas e os acusados serão ouvidos.

Acusados

Dois oito suspeitos desse crime, de acordo com o delegado, seis tiveram prisão preventiva decretada pela justiça e estão indiciados por homicídio triplamente qualificado. Entre os presos estão os militares Francisco de Assis Bezerra Soares, o Tita; Willame Nascimento Silva; os civis José Denilson Feitosa Guimarães, o Boca Rica; Douglas Silva Barbosa, José Antônio Messias, o Messias do Pneu Zero, e o vice-prefeito de Davinópolis, José Rubem Firmo.

Entenda o caso

Ivanildo Paiva foi encontrado morto com perfurações de sete tiros e com os pés e mãos amarrados em uma área de matagal, na zona rural de Davinópolis, no dia 11 de novembro do ano passado. No dia anterior, dois homens foram até a chácara da vítima, nessa localidade, e teriam perguntado ao caseiro, onde encontrariam terras naquela região para comprar. Eles chegaram a pedir informações sobre o prefeito.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte