Polícia | Criminalidade

Polícia caça autores do crime que vitimou servidores da Cemar

João Victor e Francivaldo Carvalho foram mortos no Sítio Natureza ao realizarem serviços de corte de energia; autores do crime seriam dois “faccionados”, que ainda não foram presos
Ismael Araújo16/01/2019

SÃO LUÍS - A polícia até o período da tarde desta terça-feira, 15, estava a procura dos dois “faccionados” acusados de terem executados os dois funcionários de uma empresa prestadora de serviço para a Cemar, João Victor Melo, de 27 anos; e Fancivaldo Carvalho da Silva, de 25 anos. De acordo com a polícia, um dos acusados foi identificado como “De Menor” e já tem passagem pela justiça por associação criminosa, ameaça, porte ilegal de arma de fogo, roubo e assassinato.

O duplo homicídio ocorreu na manhã de ontem, no Sítio Natureza, em Paço do Lumiar, onde, segundo os moradores, predomina a ação de integrantes de facções criminosas e traficantes de entorpecentes. O crime teria sido motivado por corte de energia elétrica nessa localidade.

“As incursões continuaram durante a tarde com o objetivo de prenderem os criminosos. Um deles já foi identificado pela polícia, inclusive, possui várias passagens pelo Poder Judiciário”, declarou o coronel Aritanã Lisboa, comandante do Policiamento de Área Metropolitano II. Ele informou, ainda, que as rondas estão sendo realizadas pelas Polícias Militar e Civil na Ilha, mas o caso está sendo investigado pela Superintendência Estadual de Homicídio e Proteção a Pessoas (SHPP).

Ontem, no fim da tarde, a Polícia Militar conduziu à SHPP duas pessoas que podem ter participação secundária no crime. Elas serão investigadas e ontem mesmo foram ouvidas pelos investigadores.

“As incursões continuaram durante a tarde com o objetivo de prenderem esses criminosos. Um deles já foi identificado pela polícia, inclusive, possui várias passagens pelo Poder Judiciário”.Coronel Aritanã Lisboa, comandante do CPAM II

Ação criminosa

A guarnição do 22º Batalhão da Polícia Militar, comandada pelo sargento Magno, foi designada pelo Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) para ir até o local da empreitada criminosa. O sargento informou que João Victor e Francivaldo Carvalho estavam realizando corte de energia elétrica em algumas residências da área do Sítio Natureza. E em determinado momento, eles foram baleados e mortos.

Ainda de acordo com o policial, dois “faccionados” teriam sido os autores desse crime, que fugiram em uma motocicleta Bros, de cor e placa não identificadas. As vítimas morreram dentro do veículo, um Fiat Mille branco, de placas OJG-2736, que pertence a empresa prestadora de serviço da Cemar. O local foi isolado até a chegada dos peritos do Instituto de Criminalística (Icrim).

O sargento também disse que os peritos do Icrim constataram perfurações no pescoço e na cabeça das vítimas e também no veículo. Os corpos das vítimas foram removidos para o Instituto Médico Legal (IML), no Bacanga, e até o fim da tarde de ontem ainda não tinham sido liberados para os familiares.

Corte de energia

Uma equipe da Superintendência Estadual de Homicídio e Proteção a Pessoas (SHPP), coordenada pelos delegados Felipe Freitas e Jeffrey Furtado, também esteve no local do crime. Jeffrey Furtado declarou que os policiais estavam colhendo os primeiros informes, mas já haviam identificado um dos autores, que tem várias passagens pela justiça, e a motivação desse crime teria sido ocasionado por corte de energia elétrica.

O delegado informou, também, que uma outra equipe da prestadora de serviço da Cemar teria efetuado corte de energia de algumas residências do Sítio Natureza na segunda-feira. Ontem, um dos proprietários dessas casas em companhia de um outro criminoso acabou matando João Victor e Francivaldo Carvalho como forma de represália. “As duas vítimas já tinham feitos alguns cortes na localidade, mas teria sido outra equipe que teria cortado a energia da residência de um dos acusados”, explicou o delegado.

Lei da facção

“Neste local há muitas pessoas de bem, mas, no momento, os criminosos estão dando as ordens e impondo a sua lei”, desabafou uma moradora que não se identificou com receio de sofrer algum tipo de represália. Ela disse, também, que os integrantes de facções criminosas estão invadindo as casas e colocando cidadãos para fugir da localidade.

Um outro morador declarou que há ruas do Sítio Natureza que tem mais de quatro “bocas de fumo”. “O tráfico de droga é uma realidade no bairro e existem muitos pontos de venda”, afirmou.

Ele afirmou ainda que os assaltos ocorrem de forma diária, principalmente, no período da noite e madrugada. “Muitos moradores ficam trancados em suas casas com receio de ser mais uma das vítimas desses criminosos”, declarou.

Nota

A assessoria de comunicação da Cemar e o Consórcio Norte, empresa prestadora de serviços, informou, por meio de nota, que vão acompanhar os trabalhos de investigação pelas autoridades policiais do homicídio ocorrido na manhã desta terça-feira, 15, no Sítio Natureza, em Paço do Lumiar, vitimando os colaboradores João Victor Melo e Francivaldo Carvalho da Silva. Também esclareceu que a Companhia e o Consórcio Norte acompanharão e colaborarão com o trabalho de investigação da polícia, que deverá identificar as causas que levaram ao homicídio. “Neste momento as empresas lamentam e se solidarizam com os familiares e estão empenhadas em prestar toda assistência necessária”.

Saiba mais

Os dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP) revelam que 17 pessoas já foram assassinadas a tiros ou por arma branca este mês na Região Metropolitana de São Luís. No mesmo período do mês passado, o registro foi de 12 mortes violentas.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte