A gente conta... | Maria Goreth Cantanhede Pereira, ex-gari, artista e escritora

Poesia para limpar a alma

Ela tem um sonho de ver a profissão de gari mais respeitada e, por meio da poesia, quadros e outros trabalhos, relata as histórias e angústias de experiências nas ruas
Evandro Jr. / O Estado do Maranhão12/01/2019

SÃO LUÍS - Ela poderia ser uma “Margarida”, termo carinhoso dado aos agentes de limpeza no Rio de Janeiro (a palavra “gari” está bem no centro do vocábulo). No entanto, enquanto não consegue obter o devido reconhecimento da sociedade em relação à categoria da qual se orgulha de fazer parte, Maria Goreth Cantanhede Pereira, 44 anos, vai distribuindo gentileza e flores em forma de poesia. Afinal, é escrevendo que ela consegue expressar seu descontentamento pela forma como as pessoas encaram uma atividade tão importante para a comunidade.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte