Geral | DESATIVADOS

Perfis satíricos são excluídos pelo Twitter

Na maioria dos exemplos, os nomes utilizados para os perfis humorísticos eram similares às contas verdadeiras das pessoas ou dos veículos de imprensa
Estadão Conteúdo10/01/2019 às 09h26
Perfis satíricos são excluídos pelo TwitterAo menos 28 contas satíricas foram desativadas. (Divulgação)

BRASIL - A rede social Twitter desativou nesta quarta-feira, 9, ao menos 28 contas satíricas que faziam uso da imagem de veículos de imprensa, personalidades públicas, jornalistas, órgãos públicos, ministros e até do presidente Jair Bolsonaro. A ação, entretanto, não foi confirmada pela rede social.

Uma lista com os nomes dos perfis bloqueados começou a circular com as hashtags #sátiranãoéfake, #censuradasparódiasnotwitter e #censuradotwitter. O administrador de uma das contas, relacionada ao jornal O Estado de S.Paulo, afirmou que o perfil tinha 10 mil seguidores. A estimativa é de que o número de contas desativadas seja maior, já que usuários do Twitter que administravam perfis com menor dimensão também relataram o caso.

Na maioria dos exemplos, os nomes utilizados para os perfis humorísticos eram similares às contas verdadeiras das pessoas ou dos veículos de imprensa, com pequenos trocadilhos. Muitas vezes, até a mesma foto e descrição é utilizada, com a observação de que se trata de um perfil de sátira.

Até o fim da noite desta quarta, a reportagem localizou diversas outras contas de perfil humorístico, algumas com grande número de seguidores, outras em menor proporção. Novas contas para substituir as bloqueadas também foram criadas, na tentativa de que os administradores recuperem os seguidores perdidos. Segundo as postagens, a prática de desativar contas tem ocorrido desde o mês passado.

O conteúdo divulgado nos perfis varia do compartilhamento de notícias verdadeiras a sátiras, além de críticas. Usuários relatam que quase todos tinham viés político de direita, e que o Twitter estaria censurando opiniões da vertente. O administrador da conta satírica excluída que se associava ao jornal O Estado de S.Paulo chegou a mencionar que o presidente Jair Bolsonaro passou a seguir a página pouco antes de ser desativada

Em nota oficial, o Twitter afirmou que: "No intuito de proteger a experiência e a segurança das pessoas que utilizam a plataforma, o Twitter tem regras que estabelecem os conteúdos e comportamentos que permitimos. Quando tomamos conhecimento de potenciais violações a essas regras, como conduta de spam ou evasão de suspensão, fazemos uma análise e adotamos as medidas cabíveis de acordo com nossas regras e termos de serviço".

Na política de Regras do Twitter, o item relacionado a spam cita "interações e comportamentos automatizados de uma conta, bem como tentativas de iludir ou enganar as pessoas". A empresa tem ciência de possíveis contas spam através de denúncias, que qualquer usuário pode fazer. A partir disso, cada caso é analisado para decidir se trata-se ou não de um perfil spam.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2018 - Todos os direitos reservados.