O Mundo | muro

Trump diz que há crise humanitária na fronteira e pede US$ 5,7 bilhões para muro

Trump disse desejar US$ 5,7 bilhões para a barreira física e justificou seu pedido ao dizer que o muro "é absolutamente crítico para a segurança dos americanos"
Estadão Conteúdo09/01/2019 às 08h33
Trump diz que há crise humanitária na fronteira e pede US$ 5,7 bilhões para muroDonald Trump, presidente dos Estados Unidos (Trump)

ESTADOS UNIDOS - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que existe uma "crise humanitária" na fronteira do país com o México e pediu ao Congresso que aprove o financiamento para a construção de um muro na região. "Quanto mais sangue americano será derramado se o Congresso não fizer seu trabalho?", questionou o líder americano em pronunciamento realizado esta noite. Trump disse desejar US$ 5,7 bilhões para a barreira física e justificou seu pedido ao dizer que o muro "é absolutamente crítico para a segurança dos americanos".

No pronunciamento, realizado na Casa Branca, Trump disse que os democratas se recusam a reconhecer que existe uma crise de segurança na fronteira sul dos EUA. "Os americanos são feridos pela imigração ilegal e sem controle. Precisamos agir agora para dar fim à crise humanitária que se alastra em nossa fronteira", comentou o presidente americano. De acordo com ele, crianças são as mais afetadas pelo atual sistema de imigração americana, o qual foi classificado pelo republicano como "quebrado".

Trump enfatizou que a fronteira sul é usada para contrabandear drogas ilegais para dentro dos EUA e exortou o Congresso a dar aval à construção do muro. "O muro irá pagar rapidamente por si mesmo", justificou o presidente, que disse, ainda, que a barreira será paga, indiretamente, pelo México por meio do acordo de livre-comércio firmado entre americanos, mexicanos e canadenses, que ficou conhecido como USMCA. O pacto foi alcançado no fim do ano passado, mas ainda precisa ser aprovado pelo Legislativos dos três países da América do Norte.

O republicano também negou que a barreira seja um instrumento de preconceito em relação aos imigrantes. "Este é o ciclo de sofrimento humano que estou determinado a terminar. As pessoas não constroem muros porque não gostam de quem está do lado de fora, mas sim porque amam os que estão do lado de dentro", afirmou Trump.

De acordo com ele, o governo enviou um projeto de orçamento ao Congresso para dar fim à paralisação com uma verba que seria destinada ao muro. Para que a proposta seja aprovada, o republicano pediu apoio da oposição. "O governo federal está paralisado por causa dos democratas. Eles precisam aprovar um orçamento que defenda as nossas fronteiras."

Nos últimos dias, circulou na imprensa americana a informação de que Trump poderia decretar estado de emergência nacional para contornar o Congresso e iniciar a construção da barreira física na fronteira. No entanto, o presidente declinou da proposta e optou por continuar as negociações com a oposição democrata para encerrar a paralisação parcial da máquina pública e garantir verba para o muro. Nesta quarta-feira, ele e o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, irão ao Capitólio para uma reunião com senadores republicanos. Na quinta-feira, está prevista uma visita de Trump à fronteira dos EUA com o México.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.