Esporte | Faltou poder de fogo

Moto não sai do zero em amistoso contra o River no Piauí

Melhor no primeiro tempo, time não conseguiu furar a retranca do rival. Na etapa complementar, jogo caiu de ritmo
Thiago Bastos / O Estado 07/01/2019 às 01h46
Moto não sai do zero em amistoso contra o River no PiauíStephanie Pacheco

Não saiu do zero o amistoso do Moto Club, realizado ontem (6) em Teresina (PI) contra o River. Melhor no primeiro tempo, Papão não conseguiu furar a retranca rubro-negra e ficou no empate. O amistoso entre as duas equipes, inicialmente marcado para às 17h, foi antecipado em 45 minutos pois um problema elétrico deixou parte do Estádio Albertão sem energia elétrica.

De acordo com a imprensa piauiense, um curto-circuito ocorreu do lado das cabines e causou o problema. Por causa do fato, a organização da partida – que inicialmente cobraria ingressos a R$ 20, decidiu abrir os portões. Para evitar qualquer problema de falta de luz, o primeiro tempo teve duração de apenas 40 minutos em vez dos habituais 45.

Dentro de campo, o Moto entrou em campo com uma formação no 4-2-3-1 variando para um 4-3-3 com Vitor Paiva, Diego Renan, Lucas Dias, Alisson e Matheus Mendes, Lucas Hulk, Evandro Russo, Nailson, Juninho Arcanjo, Diego Vitor, Danilo Galvão. Já o River, que apresentou sua nova equipe, jogou com Mondragon, Toti, Cris, Audálio, Vitor Hugo, Carlos Henrique, Gustavo Henrique, Lucas Crispim e Cassiano, Igor Potiguar e Charles.

O rubro-negro começou melhor a partida. Aos 11 minutos, Diego Vitor quase abre o placar para o Papão após rebote do goleiro. Dois minutos depois, nova chance rubro-negra e o goleiro Mondragon fez grande defesa para salvar o River.

O Moto seguiu melhor na partida. Claramente mais entrosado do que o adversário do Piauí, o rubro-negro dominou as ações com o lateral Matheus e Juninho Arcanjo. Aos 27 minutos, O Papão chegou muito perto de abrir o placar com Diego Vitor, que arrematou de longe. A bola explodiu no travessão. Apesar da pressão, o zero não saiu do placar.

Na etapa complementar, enquanto o River do velho conhecido técnico Oliveira Canindé mexeu na equipe, o Moto preferiu manter o time do primeiro tempo. O jogo ficou mais equilibrado, a ponto de Wallace Lemos usar o banco de reservas fazendo uso de jogadores como Dalmo, Vitor Salvador e Negueba. Apesar das mexidas, a partida permaneceu truncada e com menos chances de gol.

Mesmo truncado, o Moto seguia levando mais perigo de gol. No entanto, o ritmo do jogo caiu e o zero no placar foi apenas uma consequência. De acordo com a assessoria do clube, após a partida, a delegação rubro-negra voltou imediatamente para São Luís. Inicialmente, o elenco deverá receber folga e se reapresentará aos trabalhos amanhã (8). No próximo sábado, 12, o Moto volta a enfrentar o River, desta vez no Estádio Castelão na capital maranhense. O jogo deverá acontecer às 16h.

Cordialidade

Antes da partida, o clima era de cordialidade entre as diretorias de Moto Club e River. Na manhã de ontem (6), o presidente do Papão, Natanael Jr e a comissão técnica comandada por Wallace Lemos fizeram uma visita ao CT do clube piauiense. Quem fez as honras da casa foi o presidente riverino, Genivaldo Campelo.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte