Polícia | Seis mortes violentas

Homicídios em série aterrorizam a população de Imperatriz

Seis crimes foram registrados na cidade em menos de 24 horas; começaram com a morte de um PM na quinta-feira e terminaram na sexta, na antiga rodoviária
Daniel Júnior 05/01/2019
Homicídios em série aterrorizam a população de ImperatrizCorpos das vítimas do do duplo homicídio no bairro Bacuri (Divulgação)

Imperatriz – A Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP) investiga uma série de assassinatos que aconteceu em Imperatriz, a 626 km de São Luís, em menos de 24 h, da tarde da última quinta-feira, 03, até a madrugada de sexta-feira, 04. Até o fechamento desta página, a última morte violenta tinha sido registrada no antigo terminal rodoviário da cidade. Nesse crime, uma mulher, de identidade não revelada (segundo o Instituto Médico Legal IML local) foi morta a golpes de faca por um indivíduo, que não foi encontrado pelos policiais.

O Instituto Médico Legal de Imperatriz (IML) foi acionado na manhã de ontem para recolher no Hospital Municipal de Imperatriz (HMI) o corpo do jovem Wanderson Lima Gomes, de 20 anos, que foi baleado na cabeça durante a noite de quinta-feira, 03, no bairro Alto Bonito. De acordo com a polícia, dois indivíduos, em uma moto, assaltaram a vítima e pediram o celular. Wanderson informou que não estava com o aparelho no momento e, por isso, foi alvejado pelos criminosos.

Na madrugada de sexta-feira, 04, uma mulher foi morta por golpes de faca, na Rua Sergipe, no setor da antiga rodoviária de Imperatriz. De acordo com informações, a vítima, que era moradora de rua, teve uma confusão com outro morador de rua, que sacou uma faca e a matou. O agressor não foi identificado e está foragido.

Na noite da quinta-feira, 03, um duplo homicídio foi consumado no bairro Bacuri. As vítimas foram identificadas como João Matias de Sousa Filho, de 47 anos, e Romildo Ribeiro Marinho, de 38 anos. De acordo com a vizinhança, nenhum deles é envolvido com tráfico de drogas e crimes.

Francivaldo Silva Coelho, de 32 anos, foi morto a tiros no Parque do Buriti. O crime foi por volta das 20h40. De acordo com informações de testemunhas, dois elementos numa motocicleta efetuaram diversos disparos de arma de fogo contra a vítima, que não resistiu aos ferimentos e veio a óbito no local.

Durante a tarde de quinta, o sargento reformado da Polícia Militar do Maranhão (PMMA) Joselito Fernando Marinho, o sargento Marinho, como era conhecido, foi morto a tiros na tarde de ontem, no bairro Maranhão Novo. O crime ocorreu em frente ao condomínio Copacabana. Um homem foi preso suspeito de envolvimento no crime.

De acordo com informações da Polícia Militar, o sargento Marinho teria sido vítima de latrocínio, crime caracterizado pelo roubo ou tentativa de roubo seguida de morte. O militar estava saindo de um banco onde fizera um saque de R$ 30 mil para a empresa onde trabalhava como motorista. Ele foi surpreendido por dois homens em uma motocicleta que anunciaram um assalto. Ainda conforme a polícia, o sargento acabou reagindo a ação criminosos e travou uma luta corporal com os criminosos e acabou baleado e morrendo no local. Após terem matado o policial, os bandidos teriam levado todo o dinheiro e a pistola do PM que foi abandonada próximo ao local do crime. O corpo do sargento foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Imperatriz, para a autópsia.

De acordo com a polícia, os crimes podem ter relação com o latrocínio que vitimou o sargento reformado da Polícia Militar do Maranhão (PMMA) Joselito Fernando Marinho, porém será investigado para constatar a veracidade. “A gente não descarta estarem relacionadas, mas também não é a primeira linha de investigação. Vamos apurar fato por fato. A morte da mulher foi uma discussão local, e já descartamos qualquer relação com a morte do sargento reformado da PM. Agora, todos os outros casos pode ter alum tipo de relação”, explicou o delegado regional Eduardo Galvão.

Tentativa de latrocínio:

Um bombeiro do identificado como Lucas Pontes foi baleado, também na quinta-feira, 03, durante um assalto na Praça União, em Imperatriz. Ele foi atingido no braço e não corre risco de morrer. Na madrugada, a sua moto que havia sido levada pelos criminosos foi encontrada com manchas de sangue.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte