Editorial

Para o primeiro dia útil

02/01/2019

O primeiro dia útil do ano de 2019 é de muita expectativa. Isso porque todos os brasileiros estão atentos, à espera das medidas que serão tomadas pelo presidente recém-eleito, Jair Bolsonaro. A esperança é que as decisões alcancem população de forma positiva, mudando para melhor a vida de todos os cidadãos.
E não é para menos essa expectativa. O mês de janeiro é visto com preocupação, há muito tempo, pelo trabalhador. Isso porque com ele chegam os famigerados impostos, como IPTU e IPVA, a lista de material escolar, a matrícula e muito mais.
O cidadão espera ter boas notícias nesse começo de ano. E, se não der para ser a curto prazo, que seja a longo, mas que haja uma decisão que atenda ao clamor de alívio. Não é de hoje a esperança de ver a inflação baixa de novo, de perceber que o preço da cesta básica caiu, ou ao menos se estabilizou.
O trabalho do presidente Jair Bolsonaro não será pequeno. Todos sabem. Mas todos esperam que alcance o tamanho da esperança cultivada pelo brasileiro que sai cedo de casa todo dia para trabalhar e faz mágica diária para que o salário cubra as despesas e renda até o final do mês.
A expectativa é poder ver o Brasil transformado, em todas as áreas, com trabalho sendo feito na Saúde, Educação, Infraestrutura, Segurança, Trabalho, Social e Cidadania. Que o hospital funcione, com médicos capacitados, equipamentos adequados e atendimento de qualidade e digno. Que a escola fique aberta ao aprendizado, com professores sem medo, alunos dispostos e prédios equipados com o que há de melhor a ser oferecido.
Que as estradas sejam caminhos seguros, planos, sem buracos e com sinalização adequada. Que a população possa caminhar pelas ruas das cidades sem medo, que possam usar os bens comprados com o suor do rosto sem o receio de ser roubados, que possa sacar seu dinheiro sem o perigo do roubo, do sequestro e que possa ficar em casa sem o risco da bala perdida.
Que o cidadão possa ter seus direitos garantidos e possa criar seus filhos de forma tranquila, aproveitando tudo o que o Estado pode oferecer como benefício. Algo perene, que vise a um futuro onde a pobreza, a insegurança e outros problemas sejam apenas lembranças de tempos ruins.
O cidadão parece estar disposto a arregaçar as mangas, para que essas transformações aconteçam. Até porque ninguém aguenta mais conviver com tantos problemas como os experimentados no cotidiano do país.
Claro que tantas mudanças assim são difíceis e não ocorrerão da noite para o dia. A esperança do brasileiro é que, se o trabalho começar logo nesse primeiro dia útil, ao menos algumas delas possam ser experimentadas daqui a quatro anos. E fiquemos todos na torcida por um Brasil melhor!

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte