Polícia | Troca de tiros

Confrontos com a polícia deixam 28 mortos na Grande São Luís

Dados contabilizados pela Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) são referentes a 2018; outubro teve o maior número de ocorrências
Daniel Júnior 02/01/2019
Confrontos com a polícia deixam 28 mortos na Grande São Luís Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA). (Ilustração)

SÃO LUÍS - Um total de 28 pessoas morreram em 2018 durante confronto com a polícia na Grande São Luís, região formada pelas cidades de São José de Ribamar, Paço do Lumiar, Raposa e a capital maranhense, de acordo com dados contabilizados pela Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA), que omitiu o número de casos registrados no interior do Estado.

Outubro daquele ano foi o mês que mais aconteceu esse tipo de ocorrência policial na Grande Ilha. Em um dos casos, de grande repercussão, quatro jovens e um menor morreram durante um confronto no bairro de Sarnambi, na zona rural de São José de Ribamar, no dia 10 do referido mês. Durante abordagem, a polícia encontrou drogas, armas branca e de fogo, mercadorias roubadas e um colete balístico.

O bando era suspeito de integrar facções criminosas que agiam nos bairros Mojó e Sarnambi. O maior número de roubos e assaltos aconteceu em um mercado da cidade, conforme informações da polícia. Após a troca de tiros, dois feridos foram levados à unidade de saúde do município, mas não resistiram e vieram a óbito. Outros três foram encaminhados para o Hospital Dr. Clementino Moura (Socorrão II), na área da Cidade Operária, mas também não resistiram aos ferimentos.

O mês de maio vem em seguida, com quatro mortes contabilizadas. Em um dos casos, dois suspeitos de crimes morreram. Na manhã do dia 25 do referido mês, quatro assaltantes trocaram tiros com policiais na Zona Rural de São Luís, após um assalto de veículo. Dois morreram. Duas armas de fogo foram apreendidas, ambas do calibre 38. Os policiais apreenderam ainda celulares e outros pertences pessoais dentro do veículo. A Polícia Militar informou que os quatro abordaram uma vítima, que estava em um veículo vermelho de placa PYR-0840, de Belo Horizonte-MG. Eles deixaram o motorista no local e levaram o carro para cometerem outros assaltos, segundo a polícia, no bairro Quebra Pote. Quando os quatro estavam na Vila Esperança, ainda na Zona Rural de São Luís, foram localizados por policiais militares. Houve troca de tiros, mortos e feridos.

O caso mais recente ocorreu no dia 17 de dezembro na BR-135, no bairro de Pedrinhas, em São Luís. Vitor Pablo Jeremias Pinto, de 22 anos, e um menor de 17 anos morreram durante uma perseguição policial. De acordo com a polícia, os dois indivíduos, que estavam numa moto de placa PSX 4707, não atenderam uma ordem de parada e iniciaram uma fuga em alta velocidade. Com isso, os policiais os seguiram na tentativa de interceptá-los, quando houve uma troca de tiros, e os dois suspeitos de crimes acabaram sendo mortos.

Ainda conforme informações da polícia, durante a fuga, os dois indivíduos colidiram com uma árvore. Ao se levantarem da queda, fizeram uso de arma de fogo, atirando contra os policiais, que reagiu a agressão e alvejou os dois suspeitos, que vieram a óbito. A polícia também informou que, após uma revista, foi encontrado um simulacro de arma de fogo, um revólver calibre 32 com duas munições deflagradas e duas não deflagradas, 98 g de droga semelhante a crack e uma balança de precisão.

A dupla chegou a ser socorrida para o Hospital Dr. Clementino Moura (Socorrão II), mas não resistiram aos ferimentos. O caso foi encaminhado à 12a Delegacia de Polícia Civil, no bairro do Maracanã, na capital maranhense.

Dezembro do ano anterior contabilizou três mortes em confronto com a polícia. O outro caso foi registrado no dia 14. Elisson Cezar Silva Sousa, de 37 anos, morreu, após trocar tiros com a polícia, no bairro Alto do Farol, município da Raposa.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.