Política | Ranking negativo

DGE também aponta MA como o estado de piores indicadores sociais

Estudo avalia o desempenho de todos os estados e do DF na última década e apresenta projeções para 2022
Ronaldo Rocha da editoria de Política13/12/2018

O estudo Desafios da Gestão Estadual (DGE) 2018, realizado pela Macroplan, aponta o Maranhão como o estado de piores indicadores do país. O levantamento, divulgado no portal da instituição, avalia o desempenho dos estados na última década e faz projeções para 2022.
Pelo relatório, o Maranhão ocupa a última colocação em aspectos como pobreza [2016 e 2017]; acesso à telefonia [2016 e 2017]; expectativa de vida [2016 e 2017]; acesso à internet [2015 e 2016]; renda domiciliar per capita [2016 e 2017]; PIB per capita [2015 e 2016] e informalidade [2016 e 2017].
O estado também fica com desempenho vexatório em outros aspectos do levantamento, a exemplo de: rodovias pavimentadas [23ª colocação]; saneamento adequado [23ª colocação]; inadequações de moradias [23ª colocação] e anos de estudo [26ª colocação].
Analfabetismo [25º lugar em 2015 e 24º em 2016]; Mortalidade infantil [22ª em 2015 e 19ª em 2016] e homicídios [13º em 2015 e 11º em 2016] são outros pontos destacados pelo relatório.
Há também um baixo desempenho, se comparado aos outros estados, no que diz respeito ao acesso de jovens ao ensino superior.
Neste aspecto, segundo o DGE, o Maranhão também ficou nas últimas posições, com o último lugar em 2016 e em 26º em 2017.
Para definir a situação de cada um dos estados, o estudo utilizou o Índice dos Desafios da Gestão Estadual (IDGE), que abrange um conjunto de 32 indicadores de 10 áreas de resultado: Educação; Capital Humano; Saúde; Segurança; Infraestrutura; Desenvolvimento Econômico; Juventude; Desenvolvimento Social; Condições de Vida e Institucional.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte