Cidades | Final Feliz

Jovem acometido de ceratocone faz cirurgia no HRO

Intervenção foi no olho esquerdo para tratamento com crosslinking; ele fará transplante no outro olho
Daniel Júnior 28/11/2018

Acometido de ceratocone, doença rara que afeta as córneas e que pode causar a perda total da visão, Alessandro Gusmão, recepcionista de 24 anos, foi submetido a uma cirurgia na última sexta-feira, dia 23, no Hospital de Referência Oftalmológica (HRO), em São Luís. A intervenção cirúrgica foi realizada no olho esquerdo, para tratamento com crosslinking. Em decorrência da gravidade da patologia no olho direito, será necessário um transplante de córnea, o qual ainda não tem data definida.

“Fiquei um pouco apreensivo antes da cirurgia e durante a intervenção, mas graça a Deus, com esse procedimento, a doença foi estagnada no olho esquerdo. No olho direito, a situação está tão complicada que é essencial um transplante de córnea, que ainda será marcado. Eu faria, gratuitamente, em São Paulo, mas, como consegui um emprego, o plano de saúde vai cobrir, para que eu faça em um hospital aqui na capital. Lutei muito para conseguir esse tratamento de crosslinking e agradeço a O Estado, que divulgou minha situação, e ao HRO, que ofereceu o procedimento, depois do meu apelo. Agora estou me recuperando e daqui a uns 10 dias volto ao serviço”, relatou Gusmão.

Acompanhamento
O Estado
acompanha a história de Alessandro Gusmão desde o último dia 20 de junho deste ano. Na ocasião, ele estava desempregado e fazia um apelo para conseguir fazer a cirurgia. Após reportagem, o HRO ofereceu os diagnósticos e a cirurgia, gratuitamente. Alessandro relatou as suas dificuldades para buscar por atendimentos diariamente. “Tentei buscar ajuda em tudo que vocês imaginarem. Fui na Defensoria Pública do Estado [DPE] tentar um encaminhamento, mas nada foi resolvido”, relembrou Gusmão.

Alessandro Gusmão ainda chegou a criar uma “vaquinha vittual” com o objetivo de arrecadar R$ 3 mil para tentar fazer um procedimento que amenizasse o agravamento da patologia. “Agradeço muito a todas as pessoas que ajudaram. Toda verba que consegui arrecadar até o momento, continua na conta. Terei que adquirir alguns colírios, após a cirurgia para tratamento de crosslinking. Caso não utilize tudo, vou ajudar outra pessoa que esteja em uma situação complicada como a minha”, acrescentou Gusmão.

O QUE É

Ceratocone
Ceratocone é uma doença genética, de caráter hereditário e evolução lenta, que se manifesta mais entre 10 e 25 anos, mas pode progredir até a quarta década de vida ou estabilizar-se com o tempo. A enfermidade pode atingir os dois olhos de maneira assimétrica, ou seja, o distúrbio pode afetar mais um olho do que o outro, segundo informações do médico Draúzio Varella. No ceratocone, o tecido transparente em forma de cúpula que cobre o olho (córnea) afina e se projeta para fora em forma de cone. Sua causa é desconhecida.

Crosslinking
O crosslinking é um novo tratamento cirúrgico que permite aumentar a resistência da córnea, deixando-a mais estável. Por meio dessa técnica, é possível retardar ou até parar os danos causados pelo problema, evitando, assim, a perda da acuidade visual e até a necessidade de um futuro transplante de córnea. Estima-se que 21% dos pacientes de ceratocone acabam precisando do transplante. A nova técnica poderá baixar esse número.
Fonte: coioftalmologia

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2018 - Todos os direitos reservados.