Polícia | Pânico

Polícia caça quadrilheiros que aterrorizaram Bacabal

Quadrilha invadiu a cidade no domingo, explodiu a agência do BB, fuzilou quartel da PM e delegacia; três bandidos e um morador morreram; valor roubado não foi revelado
Ismael Araújo27/11/2018
Estado em que ficou a agência do Banco do Brasil com a explosão
Bandidos atearam fogo em veículos para impedir ação da polícia

BACABAL - A polícia continuava ontem realizando incursões na região do Meio Mearim visando prender os bandidos que instalaram um clima de terror na cidade de Bacabal na noite do último domingo. A polícia calcula que cerca de 20 homens participaram dessa ação criminosa que resultou na morte de três quadrilheiros e de um morador, além de um rastro de destruição na cidade. O quartel da Polícia Militar e a Delegacia Regional de Bacabal também foram atacados e tiveram as paredes da frente metralhada.

Os bandidos incendiaram sete veículos e fizeram dezenas de moradores reféns. O prédio do Banco do Brasil ficou destruído. Até a manhã desta segunda-feira, 26, apenas dois acusados da ação haviam sido presos, além de oito moradores conduzidos para a delegacia, acusados de terem aproveitado a situação para furtar cédulas de real abandonadas pelos assaltantes durante a fuga. Inclusive, entre os detidos por furto, estava um policial militar do Piauí.

Parte do dinheiro roubado, cerca de R$ 3 milhões, que foi recuperada

Identificação
Os bandidos mortos foram Jean Martins Rocha, natural da Bahia; Ederson da Silva, que havia sido preso recentemente por assalto a banco no estado do Tocantins; Rafael Atila, da cidade de Pinheiro. O morador de Bacabal, Cleonir Borges Araújo, foi atingido por bala perdida. Já os dois quadrilheiros presos não tiveram sus nomes divulgados pela polícia até o fechamento desta edição. Cerca de R$ 3 milhões foram encontrados pela polícia.

Dois bandidos que foram presos durante ação da polícia na zona rural


O delegado Carlos Alessandro de Assis, superintendente estadual de Investigações Criminais (Seic), declarou que a polícia cercou ontem a região do Meio Mearim com o objetivo de prender os quadrilheiros. Há informações que a maioria dos integrantes da quadrilha é de outros estados.

Ainda segundo o delegado, as incursões estavam sendo realizadas pelas Polícias Militar e Civil, com participação dos agentes do Departamento de Combate a Roubo a Instituições Financeiras (Decrif), órgão da Seic, e do Centro Tático Aéreo (CTA). Policiais de estados vizinhos também estão integrados. “Há um grande contingente policial realizando buscas no interior para prender esses bandidos”, disse o delegado.

O secretário de Segurança Pública (SSP), delegado Jefferson Portela, e o comandante da Polícia Militar, coronel Jorge Luongo, também estiveram ontem participando das buscas no interior. Jefferson Portela declarou, em entrevista a TV Mirante, que não teve conhecimento do volume de dinheiro depositado na agência bancária. Caso contrário teria enviado um contingente maior de policiais para a cidade.

Cabeça
Há suspeita de que essa ação criminosa tenha sido coordenada pelo criminoso José Francisco Lunes, o Zé do Lessa, assaltante de banco e fugitivo da Justiça. O bando comandado por esse assaltante age em todo o país, principalmente nas regiões Norte e Nordeste. Eles utilizam armamento de grosso calibre, explosivo e atuam com muita violência.
Exite também informações de que Zé de Lessa teria chegado a Bacabal em um veículo blindado e participou diretamente da explosão do Banco do Brasil e na troca de tiros com os policiais militares durante a fuga e fez dezenas de moradores reféns.

Pânico
A população de Bacabal até ontem estava em pânico. As ruas do centro foram isoladas pela polícia e muitos estabelecimentos comerciais, órgãos públicos permaneceram fechados. O prédio do Banco do Brasil e pontos comerciais do centro apresentaram um rastro de destruição. A Delegacia Regional de Bacabal, localizada nas margens da BR-316; e a sede do 15º Batalhão da Polícia Militar com a frente marcada de tiros de armamento de grosso calibre.
As cápsulas de balas ficaram espalhadas pelas ruas e ainda era possível encontrar os veículos incendiados e um forte aparato policial circulando pela cidade. Um dos moradores que não se identificou, disse que esse tipo de ação nunca tinha acontecido na região. Outra moradora, nome não revelado, declarou que a ação parecia um filme de bang-bang. “Muito tiros. Tivemos que ficar presos em casa, com receio de sermos baleados”, desabafou a moradora.

Ação criminosa
De acordo com a polícia, essa ação criminosa teve a participação de cerca de 20 criminosos e chegaram a Bacabal por volta das 22 horas do último domingo em vários veículos. Os assaltantes se espalharam para vários pontos da cidade. Um grupo foi para a Delegacia Regional onde dispararam vários tiros, incendiaram dois veículos e também abandonaram um bitrem.
A sede da Polícia Militar também foi atacada e um policial ficou ferido, atingido por estilhaço de vidro. Os criminosos crivaram de bala o quartel e destruíram um veículo. Houve confronto entre policiais e criminosos e três deles foram mortos.
Os quadrilheiros incendiaram, também, veículos em cima de duas pontes. Uma delas, no rio Mearim, na entrada da cidade, e a do Igarapé do Bambu. A troca de tiros continuou entre militares e assaltantes, desta vez nas proximidades do Centro Cultural, resultando na morte do morador Cleonir Borges, que estava tentando deixar o local.
A polícia informou, também, que o alvo principal dos criminosos foi o Banco do Brasil, localizado no centro. Eles conseguiram arrombar o muro dos fundos da agência e explodiram o cofre. Durante a fuga, além da troca de tiros com os policiais, levaram reféns e jogaram “miguelitos” na estrada para dificultar o trabalho da polícia.

Prisões
Na madrugada de ontem, os policiais militares prenderam dois suspeitos da ação criminosa, na zona rural de Bacabal. Um deles, natural do Rio Grande Norte, pilotava uma motocicleta e estava com uma quantia de dinheiro roubada. Também na madrugada, vários confrontos ocorreram no povoado Santo Antônio, na entrada da MA-247 e na BR-316.
A polícia também conseguiu localizar reféns nas proximidades das cidades de Alto Alegre do Maranhão, São Mateus e São Luís Gonzaga. O governador Flávio Dino, ainda durante a madrugada de ontem, por meio do Twitter, informou que as forças de segurança estavam na caçada desses criminosos.

Investigada fracassada
Na noite do dia 3 de janeiro do ano passado, policiais militares se confrontaram com criminosos na entrada de Bacabal. Segundo a polícia, os bandidos estavam se deslocando para a cidade com o objetivo de atacar um banco e até mesmo a sede de uma empresa transportadora de valor.
Durante essa ação foram presos Paulo Sérgio Francisco dos Santos, o Paulista, de 47 anos, que era integrante de uma quadrilha interestadual especializada em roubo a banco no país. Com ele foram apreendidos um fuzil 7.62 e várias munições. l

“Muito tiros. Tivemos que ficar presos em casa e com receio de sermos baleados”.Declarou moradora de Bacabal

Saiba mais

A posse do prefeito de Bacabal, Edvan Brandão, eleito no último dia 28, que estava previsto para a tarde de ontem, devido essa ação criminosa foi adiada para a próxima quarta-feira, segundo informações da polícia.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2018 - Todos os direitos reservados.