Geral | Sem acordo

Rodoviários rejeitam nova contraproposta salarial dos empresários

Patrões ofereceram reajuste de 2% no salário e tíquete-alimentação, que só entraria em vigor a partir de janeiro do próximo ano, de acordo com o sindicato que representa os motoristas, cobradores e outros trabalhadores do sistema
Daniel Júnior 24/11/2018

SÃO LUÍS – Rodoviários do sistema de transporte de passageiros de São Luís rejeitaram uma nova contraproposta salarial ofertada pelos empresários, que foi apresentada no dia 13 de novembro. Os patrões ofereceram um reajuste de 2% no salário e no valor do tíquete-alimentação, o qual só entraria em vigor a partir de janeiro do próximo ano, de acordo com informações do sindicato que representa motoristas, cobradores e outros trabalhadores do sistema.

Os rodoviários pedem reajuste salarial de 12%, a inclusão de dependentes nos planos de saúde e odontológico e aumento no valor do tíquete-alimentação e até o momento não houve acordo entre as partes. Os patrões defendem a exclusão do plano odontológico, que os trabalhadores passem a pagar 50% no plano de saúde e a extinção da função de cobrador, segundo o Sindicato dos Rodoviários.

Em reportagem publicada no dia 26 de outubro, O Estado mostrou que, sem condições de atender à solicitação, o Sindicato das Empresas de Transportes de São Luís (SET) a encaminhou à Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB), reguladora das tarifas de coletivos da Ilha, junto com a explanação de como caria a situação dos empresários, caso atendessem essas solicitações. Com o impasse, a possibilidade de aumento de passagens começa a ser debatido.

“Não posso afirmar que o aumento da passagem será a melhor alternativa, porque cada consórcio tem uma realidade de gastos. Mas há a possibilidade de um aumento. Tem consórcios que precisa fazer manutenção dos ônibus, porque a área que trafegam está esburacadas, o que causa danos aos veículos frequentemente. Tem regiões onde é intensa a quantidade de passageiros que possuem gratuidade. Cada caso deve ser analisado”, afirmou Luís Cláudio Siqueira, superintendente do SET.

Sem aumento

O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda, anunciou, por meio de uma publicação na sua página pessoal, que não vai haver aumento no valor da tarifa de ônibus. “reajuste de salário dos trabalhadores do transporte é uma discussão entre os dois sindicatos”, no caso, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (Sttrema) e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET).

“Mediante toda essa situação, a única alternativa que nos resta é apelar para o dissídio coletivo, junto ao Tribunal Regional do Trabalho no Maranhão (TRT-MA). Nossos advogados estão cuidando de todos os trâmites e agora, a decisão ficará a cargo da justiça’, ressaltou Isaías Castelo Branco, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (Sttrema).

De acordo com o procurador Regional do Trabalho, Roberto Magno Peixoto Moreira, se até o dia 30 de novembro nenhuma das entidades se manifestar, o procedimento de mediação será arquivado.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte