Cidades | Nova chance

Dependentes químicos são encaminhados para tratamento

Ação, realizada pelo Caps AD, em parceria com a segunda Delegacia de Polícia Civil, aconteceu na Praça Antônio Lobo, no centro; Essa é 16ª operação executada este ano
Daniel Júnior / O Estado23/11/2018

Pessoas em situação de rua e usuários de drogas tiveram ontem mais uma oportunidade de fazer um tratamento, oferecido pelo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas do Maranhão (Caps AD), em parceria com a segunda Delegacia de Polícia Civil, para abandonar o vício. A ação, intitulada "Resgate Novembro Azul", foi realizada na Praça Antônio Lobo, no centro de São Luís, área considerada crítica, pela intensa presença de dependentes químicos, conforme os organizadores.

Essa é a 16ª operação de resgate executada este ano, com mais de 5.160 mil atendimentos realizados, de acordo com dados do Caps AD. Ainda segundo o órgão, mais de 900 usuários de drogas saíram das ruas desde o início dessas ações no ano de 2011. Até às 10 h de ontem, cinco dependentes químicos haviam aceitado o tratamento e mais de 50 pessoas tinham sido alcançadas pela ação.

Samuel de Jesus, de 23 anos, foi um dos dependentes químicos que aceitou ser internado, para largar as drogas. “Eu moro nas ruas do centro de São Luís há mais de cinco anos. Quando comecei a usar drogas, minha família me abandonou e saí de casa. Na rua, tudo foi pior. Agora, quero fazer o tratamento, para abandonar os entorpecentes e ter uma família e trabalho”, afirmou, esperançoso, Samuel de Jesus.

Diretor do Caps AD, Marcelo Soares, comemora o resultado positivo das ações e garantiu que a região do Mercado Central será o próximo local onde haverá resgate de pessoas em vulnerabilidade social. “Em um trabalho conjunto com a segunda delegacia de Polícia Civil, além da Secretaria de Assistência Social da capital maranhense e outros parceiros, essa operação tem sido um sucesso e cada vez alcançamos resultados positivos. É notório, por exemplo no bairro do João Paulo, que o número de moradores de rua declinou com o tempo. Hoje, a ação está mais específica, não estamos fazendo atendimento de saúde à população geral, só aos dependentes. Aqui no centro, conseguimos ter o controle desses dependentes, porque eles não migram para muito longe. Continuam geralmente na área central. Essas pessoas que aceitam o tratamento, por livre e espontânea vontade, passam por uma avaliação, que define o quadro em que estão, posteriormente são encaminhadas para internação e/ou outros tipos de tratamento, como só acompanhamento”, explicou Soares.

“Fazemos um mapeamento das áreas consideradas mais críticas e em seguida executamos a ação. Antes, o atendimento não tinha tanto resultado positivo, mas depois que humanizamos a operação, tudo ficou melhor. Acreditamos que ainda este ano vamos para a região do Mercado Central, ali tem muita gente em vulnerabilidade social. Essas ações diminuem casos de violência, como o tráfico de drogas e roubos” relatou o delegado Joviano Furtado, titular da segunda Delegacia de Polícia Civil, situada no bairro do João Paulo.

SAIBA MAIS

Durante a ação, os dependentes químicos tiveram acesso a diversos serviços de saúde oferecidos por parceiros, como: aplicação de flúor e avaliação de câncer oral (estudantes de odontologia da Universidade Federal do Maranhão – UFMA), aferição de pressão e glicemia (alunos de enfermagem da Faculdade Pitágoras), vacinação, atendimento psiquiátrico e psicológico, teste de HIV/AIDS, e entre outros. João Paulo, Centro Histórico, Cidade Operária, Cohab e Centro foram os bairros da capital maranhense que receberam esta operação, até o momento.

Pós-tratamento

Ex-dependentes químicos em situação de rua que passaram por tratamento médico e psicossocial receberam no último dia 25 de julho o certificado de conclusão do curso profissionalizante de pintura e serigrafia, executado por meio de uma parceria entre o Centro de Assistência Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD), o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e a Delegacia de Polícia Civil, gerida pelo delegado Joviano Furtado. O evento de comemoração, realizado no Caps AD, no Monte Castelo, em São Luís, marcou o encerramento do sétimo curso profissionalizante realizado pelo projeto, que tem o objetivo de ressocializar.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte