Polícia | Violência

Crianças e adolescentes são alvos de criminosos na Grande São Luís

45 menores de idade já foram assassinados de forma bárbara este ano na Região Metropolitana de São Luís; ano passado, o registro foi de 72 casos, segundo a polícia
Ismael Araújo/ O Estado10/11/2018

SÃO LUÍS - As crianças e adolescentes da Região Metropolitana de São Luís continuam sendo alvos de criminosos. No decorrer dos últimos 10 meses, 45 menores de idade foram assassinados, enquanto no ano passado ocorreram 72 casos na Ilha, de acordo com os dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP). A maioria desses casos teve a participação de integrantes de facção criminosa.
Ainda na sexta-feira (9) ocorreu a II Marcha Alanna Lumilla Todos pela Paz, no Maiobão, em Paço do Lumiar, marcando um ano do assassinato da menina Alanna Ludmilla Borges Pereira, de 10 anos. De acordo com a polícia, essa criança foi violentada sexualmente, assassinada e teve o seu corpo enterrado sob entulhos no quintal da residência onde morava, no Maiobão, no dia 1º de novembro do ano passado. O principal suspeito desse ato bárbaro é o ex-padastro da vítima, Robert Serejo Oliveira, de 31 anos, que está preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.
A segunda marcha reuniu amigos e parentes de Alanna Ludmilla. O ato teve como ponto de concentração a Escola Comunitária Centro Educacional Sagrada Família, na rua 24 do Maiobão, onde a vítima estudava. Os participantes percorreram por várias ruas do bairro e finalizou na praça da Bíblica, na avenida 10.
A mãe de Alanna Ludmilla, Jaciane Costa, de 33 anos, disse que esse evento vem alertar a população para que não ocorra mais crimes violentos e tendo como vítimas crianças. “A dor da perda da minha filha só vem aumentar a cada ano e nunca será esquecida. No momento, luto para que outras crianças não possam ser vítimas desse tipo de crime bárbaro”, desabafou Jaciane Costa.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2018 - Todos os direitos reservados.